Nossa Mulher Positiva é Luciana Raunaimer, 32 anos, sócia diretora da Ameise Design.

  1. Como começou a sua carreira?

Venho de uma família humilde, filha de pai serralheiro e mãe costureira, sempre vi de perto como era possível se produzir artesanalmente. Durante o colégio, fiz um curso técnico em publicidade e propaganda e durante o cursinho, quando meus pais começaram a reformar um imóvel antigo, tive meu primeiro contato com arquitetura e não poderia escolher outra formação depois disso. Graduei-me em arquitetura e urbanismo na Universidade Estadual Paulista, em 2009, e vim para São Paulo onde passei 2 anos trabalhando com grandes projetos de arquitetura no escritório da Débora Aguiar, onde pude entender que mais que trabalhar com arquitetura, meu desejo por empreender falava mais alto. Foi então que ao começar a estudar um plano de negócios, percebi uma oportunidade dentro do mobiliário infantil, pois quando finalizei a graduação, presenteei um amigo com o desenho de um berço, e este berço me gerava inúmeros contatos de compra enquanto se manteve hospedado em um blog portfólio, e para atender essa demanda, comecei a estruturar a Ameise. Antes mesmo de ter o plano de negócios feito, me desliguei do escritório e foquei em estudar métodos pedagógicos, ergonomia, materialidade e suprimentos de marcenaria de cunho sustentável e somente depois disso comecei a desenhar as peças dentro daquilo que acreditava faltar no mercado. Em 2012, lancei a marca em um feira infantil, depois de quase 6 meses de imersão neste universo. Apenas com 3D e ideias, pude captar os primeiros clientes que foram cobaias e financiaram os protótipos dos produtos acreditando pura e simplesmente na minha visão. De lá pra cá, a curva de crescimento foi ascendente e já estamos há seis anos atuando no mercado, trazendo conceito em design e durabilidade além de desenvolver um caráter lúdico na decoração pouco caricato.

  1. Como é formatado o modelo de negócios da Ameise?

A Ameise é uma empresa lucro, atuamos com apenas uma loja física com 350 metros quadrados no coração da Vila Madalena, e estamos finalizando o desenvolvimento do e-commerce. Assim como na loja, o online está sendo pensado para propiciar uma experiência agradável e dinâmica. Temos um estoque com cerca de 3 mil itens em nosso CD com 500 metros quadrados localizado na Lapa, e contamos também com um espaço de criação com mais 300 metros no alto da Lapa onde podemos fazer testes de segurança, ensaios fotográficos e temos um espaço colaborativo para pequenas marcas. Temos uma equipe bem enxuta e bastante eficiente, para tocar tudo isso somos em dezoito colaboradores, além de gerentes administrativos e montares. Para conseguir melhor desempenho, temos avaliações bimestrais individuais e metas para cada equipe. Trabalhamos fortemente o treinamento e comunicação interna.

  1. Qual foi o momento mais difícil da sua carreira?

Acredito que o momento mais difícil da carreira, vem com o mais difícil da vida pessoal, que foi passar por dois bebês em uma UTI. Em ambos os momento consegui administrar o negócio e o stress da vida pessoal que me exigiu o máximo. Por incrível que pareça, em ambas as situações, concluímos com crescimento da empresa acima do esperado. Mas, conseguimos chegar ao equilíbrio e priorizar o que foi substancial.

  1. Como você consegue equilibrar sua vida pessoal x vida corporativa/empreendedora.

Como toda mãe, me culpo por sempre achar que falta tempo com os filhos. Mas no contexto geral, consigo organizar bem o dia-a-dia, e para ambas as situações, meu marido é quem sempre está ao meu lado para me dar apoio, seja em casa ou no trabalho. Aliás, ele administra muito bem a rotina da casa e as crianças, ou seja, na empresa ele é responsável por fazer o trabalho do setor técnico, de produto e o setor de qualidade. Acredito que estamos em uma geração de mulheres desbravadoras, e para que eu conseguisse meu equilíbrio, meu marido foi muito parceiro nas divisões de tarefas de ambas as rotinas! Basicamente passamos a manhã até o almoço em casa, de onde trabalhamos a distância e podemos ficar com as crianças. A tarde as crianças têm 4 horas de aula no jardim de infância, então é o período que concentramos as atividades presenciais da empresa. E a noite, conseguimos um tempo só para nós, onde planejamos as soluções para todos os desafios que sentimos.

  1. Qual o seu maior sonho?

Hoje já vivo grandes sonhos pessoais, e grandes realizações. Penso que daqui pra frente, o que vier é bônus. Mas falando no tangente sonho, tenho como idealização futura, criar bons filhos, que sejam boas pessoas, e dentro da empresa conseguir proporcionar crescimento pessoal e profissional para meus colaboradores. Também tenho o desejo de aumentar meu poder de atuação para ações sociais e formação de crianças de baixa renda.

  1. Qual a sua maior conquista?

Certamente é qualidade de vida! Vivo uma vida em um bairro pacato, ando a pé até o trabalho, passo horas com as crianças, namoro muito meu marido, convivo com amigos no meu trabalho e tenho profissionais incríveis na minha equipe. Trabalho com empresas parceiras, participo do momento mais feliz da vida dos meus clientes (a chegado do bebê), tenho os clientes mais fofos e mais que tudo, faço aqui o que eu amo! Empreendo e desenho!

  1. Livro, filme e mulher que admira

Aqui posso ser mais sentimental do que técnica!? Livro não sei escolher, temos períodos com um favorito. Filme, certamente não tem nada que me toque mais do que “Amor Além da vida”, e minha musa inspiradora no mundo das artes sempre foram Lina Bo Bardi e Ray Eames!