Nossa Mulher Positiva é Lívia Fernandes, Diretora de Operações do McDonald’s Brasil, a executiva iniciou sua carreira na companhia como Atendente e foi a primeira mulher a alcançar a Diretoria de Operações da regional São Paulo.
  1. Como começou a sua carreira?

Aos 15 anos eu fazia Datilografia e passei em frente ao McDonald’s de Guarulhos. Vi uma faixa alertando que eles estavam contratando. Me candidatei e em dois ou três meses já fui contratada. Em 11 meses me tornei Assistente de Marketing. Assim comecei a minha carreira e passei por todas as funções até me tornar a primeira mulher a ser Gerente de Operações no Brasil. Fiquei muito tempo neste cargo, até receber uma proposta da área de Recursos Humanos, visando ampliar meu conhecimento corporativo. Aceitei e, após um ano e três meses, em dezembro de 2018, cheguei onde estou, como a primeira mulher a ser Diretora de Operações no Brasil.

 

  1. Como é formatado o modelo de negócios do McDonald’s?

O McDonald’s é a maior e mais conhecida empresa de serviço rápido de alimentação do mundo, e se destaca pela qualidade dos produtos e do atendimento. Presente em 119 países, a rede possui mais de 36 mil restaurantes, onde trabalham 2 milhões de funcionários que alimentam diariamente mais de 70 milhões de clientes. No Brasil, a rede é operada desde 2007 pela Arcos Dourados, máster franqueada da marca em toda a América Latina. O primeiro restaurante do Brasil foi inaugurado em 1979, em Copacabana, Rio de Janeiro. Hoje, o McDonald’s está estabelecido no mercado como uma das melhores empresas para trabalhar no Brasil e um dos maiores empregadores de jovens do país. Atualmente, no cargo de Diretora de Operações, sou responsável pela Regional São Paulo, que conta com 450 restaurantes, 15.000 pessoas, 41 consultores e 7 gerentes de operação.

 

  1. Qual foi o momento mais difícil da sua carreira?

Eu fui promovida à Gerente de Operações sete meses depois que minha segunda filha nasceu e um mês depois que voltei de licença. Era a oportunidade que eu mais queria na vida e precisei me organizar para dar conta destes dois momentos tão importantes ao mesmo tempo. E eu consegui. Ser mulher é poder tudo: trabalhar, ser mãe, viajar, liderar uma equipe. Somos extremamente competentes, fazemos bem feito e conseguimos resultados duradouros quando nos dedicamos. Hoje, das 15 mil pessoas que estão abaixo do meu “guarda-chuva”, na gerência das unidades, quase 60% são mulheres. E são mulheres guerreiras, que estão à frente de negócios grandiosos. O restaurante da rede que mais vende no Brasil, por exemplo, é comandado por uma mulher.

  1. Como você consegue equilibrar sua vida pessoal x vida corporativa/empreendedora.

É uma rotina frenética, porque são muitos restaurantes, mais de 450 sob o meu comando. Tenho usado muito a tecnologia ao meu favor para falar com minha equipe, criei um grupo no Whatsapp para todo mundo. O objetivo é estar sempre perto: do time, dos clientes e da família. É necessário ter um planejamento muito forte para equilibrar a rotina profissional e pessoal. Sou mãe, sou esposa e sou mulher. Participo ativamente da vida do Luan, de 16 anos e da Mel, de 10 anos, e nem por isso deixo nada a desejar no meu trabalho. Mas isso requer um controle total sobre os próprios horários, agendas pré-estabelecidas e, inclusive, o dom de saber falar “não”, quando necessário.

  1. Qual o seu maior sonho?

O meu maior sonho é continuar crescendo na minha carreira, mas que sabe construir uma carreira internacional, onde minha família também possa vivenciar uma experiência valiosa.

  1. Qual a sua maior conquista?

No McDonald’s eu tive a oportunidade de passar por diversas funções, ser promovida muitas vezes, ter experiências internacionais, receber prêmios, me desenvolver e capacitar a cada dia. A empresa nunca viu raça, cor, gênero. Sempre fui reconhecida pelo mérito do meu trabalho e a companhia me abriu inúmeras portas. Tenho orgulho de falar que trabalhamos numa empresa de muito sucesso, numa marca valiosa e acredito que é essa paixão pelo meu trabalho que me levou tão longe. Isso me fez criar uma conexão e fazer as coisas cada vez melhor. E, para mim, essa é minha maior conquista. Ter olhado aquela faixa, aos 15 anos, e entrado nesta empresa.

  1. Livro, filme e mulher que admira

Minha mãe é a minha inspiração, o meu anjo, força e a pessoa que fala todos os dias: “Filha, vai que você pode sempre fazer melhor”.

Livro: A Escolha (Nicholas Sparks) e Dom Casmurro (Machado de Assis)

Filme: A Teoria de tudo