Nossa Mulher Positiva é Kika Simonsen; designer gráfica, artista visual e estilista. Dona de um bom gosto inquestionável, é um dos grandes nomes ao que refere a moda moderna. Criadora de modelos diferentes e únicos, conseguiu em pouco tempo unir a sofisticação da arte com o estilo de uma artista contemporânea.

1-      Como começou a sua carreira?

Me formei em design gráfico pela FAAP. Depois de me formar, estudei moda no IED e artes plásticas na Escola Panamericana de Arte & Design. Tambem sempre tive contato com vários artistas, e aprendi diversas técnicas interessantes de arte com artistas que fui conversando e convivendo.

Eu não sabia no começo como que eu poderia trabalhar com arte e moda ao mesmo tempo. Resolvi criar a marca para usar o que sei sobre arte na hora de criar estampas no meu estúdio de arte, o que eu sei sobre design gráfico na hora de editar as estampas no computador, e moda na hora de criar as coleções.

2-      Como é formatado o modelo de negocios da Kika Simonsen?

A Kika Simonsen é uma marca Slow Fashion ligada a arte. Como sou artista visual, designer gráfica e estilista, crio todas as coleções tendo como prioridades  originalidade e qualidade. Pelas coleções serem muito autorais e criativas, as peças são eternas e atemporais.

Eu começo a coleção definindo um tema. A partir desse tema, crio estampas com pigmentos puros em telas grandes no meu estúdio de arte. Escolho tecidos que eu me apaixono e que tem a ver com o tema da coleção. Amo trabalhar com tecidos fluidos com fibras naturais como seda, linho e algodão e composições que misturam essas fibras, e tecidos mais pesados que eu me apaixono como alguns veludos e tweeds. Vou juntando minhas ideias e criando desenhos dentro de famílias de tecidos, dentro do tema da coleção.

3-      Qual foi o momento mais difícil da sua carreira?
Quando eu comecei a marca Kika Simonsen. Eu tinha pouca experiência no mercado de moda, e nenhum histórico familiar nesse mercado. Foi muito difícil juntar tudo, começar, e lançar uma marca autoral em um mercado tão competitivo. Tambem foi uma fase muito difícil porque eu estava sofrendo muito com a perda recente do meu pai, mas ao mesmo tempo sentia que CRIAR algo novo me traria muita realização pessoal, então fazia toda aquela dor passar um pouco.

4-      Como que você consegue equilibrar sua vida pessoal x vida corporativa / empreendedora?
Crio objetivos mensais tanto da minha vida pessoal quanto corporativa. Faço listas semanais por horário, e organizo MUITO bem o meu tempo.

5-      Qual o seu maior sonho?
Começar a exportar as minhas coleções para a Europa, Estados Unidos e Ásia.

6-      Qual a sua maior conquista?
Conseguir criar uma marca com DNA único, criativo e ao mesmo tempo atual, e criar um filho ao mesmo tempo.

7-      Livro, filme e mulher que admira.

Livro –
Violetas na Janela, Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho – um livro espirita que me ajudou durante os momentos mais difíceis da minha vida, que foi quando eu perdi o meu pai.
O Poder do Agora, Eckhart Tolle – livro que junta conceitos de varias religiões, como cristianismo e budismo, e ensina a importância de viver no presente, invés de viver sempre focando no passado ou no futuro.

Filme –
Hidden Figures – um dos meus filmes favoritos, é uma história verídica sobre 3 matemáticas que trabalham na NASA em 1961. As 3 são amigas e extremamente competentes, inteligentes e dedicadas, mas sofrem muito preconceito e diversas dificuldades por viverem nos Estados Unidos em uma época racista e machista (as 3 são negras). Nessa época, durante o Space Race (Guerra Fria), o grupo delas é obrigado a trabalhar em um prédio separado das outras trabalhadoras por serem negras e mulheres, e as 3 tem dificuldades em lidar com a ascensão na hierarquia na NASA mesmo demonstrando mais competência que vários outros colegas de profissão principalmente os homens brancos. O filme é muito emocionante pois mostra a resiliência das 3, e como elas conseguem mudar toda a organização dentro da NASA e finalmente serem valorizadas por suas conquistas, quebrando todo sistema de racismo, preconceito e injustiça. (não vou contar mais sobre o filme para não estragar, mas é o filme mais inspirador que eu já assisti).

Mulheres que admiro:
Coco Chanel (revolucionou a moda por priorizar o conforto, foi a primeira estilista a criar calças para mulheres, e o vestido Pretinho básico) , Mary Quant ( inventou a minissaia e meia de nylon), Kathryn Bigelow (primeira diretora de cinema a ganhar um Oscar por um filme de guerra – The Hurt Locker), JK Rowling (criou todo o universo do Harry Potter, não desistiu mesmo com as dificuldades em conseguir publicar suas primeiras obras mesmo enfrentando a miséria e a depressão), Dorothy Vaughan (uma das matemáticas que trabalhou na NASA em 1961, e enfrentou o racismo e o machismo até conseguir revolucionar toda a organização interna da NASA). Georgia O’Keefe & Frida Kahlo- artistas visuais mulheres que alteraram a ideia de predominância masculina no mundo das artes
Anita Roddick – fundadora do The Body Shop – executiva e ativista humanitária primeira a criar empresa de produtos de beleza q nao testa os produtos em animais
Iris Van Herpen – estilista holandesa – cria roupas com formas arquitetônicas futuristas e é considerada uma das estilistas mais inovadoras da atualidade pelo seu uso de impressão 3d e tecnologia em suas criações
Zandra Rhodes – estilista britânica, cria estampas únicas

Todas mulheres positivas tem uma característica que os homens não tem – a intuição, e todas as mulheres dessa lista seguiram a sua intuição, todas foram inovadoras cada uma no seu ramo.