Nossa Mulher Positiva é Janaína Lima, advogada especialista em Direito Público e vereadora de São Paulo pelo Partido Novo. Janaína, que transformou seu gabinete em um coworking, conta como assumiu o desafio de se candidatar grávida de oito meses para propor uma política de um jeito diferente.

  1. Como começou a sua carreira política?

Minha carreira política é recente, estou em primeiro mandato como vereadora de São Paulo. Apesar de minha trajetória ter sido sempre norteada pelo propósito público, meu objetivo sempre foi o de mudar a vida das pessoas. Cresci no Capão Redondo, bairro da periferia de São Paulo, sou filha de uma líder comunitária e de um motorista de ônibus, política sempre foi um tema muito presente em casa. Fui educadora, panfleteira, cobradora de lotação, voluntária do terceiro setor, vendedora de roupas e sanduíches naturais na praia, mini fabricante de biquíni e de ovos de Páscoa. Até recondicionadora de cartucho entrou na lista. Mas o sonho era me tornar advogada. Acreditava que, me tornando advogada, eu poderia fazer as leis serem cumpridas e garantir a dignidade das pessoas. Sem dignidade não há liberdade. Já como advogada e diante da corrupção generalizada na política, entendi que o povo deveria ter voz, participar mais das decisões e eleger novos representantes. Fui líder do movimento “Vem Pra Rua”, que foi fundamental para o impeachment e fortalecimento da Lava Jato, e ouvi de muitas pessoas que eu deveria me candidatar. Então tomei a decisão, mesmo grávida de oito meses, em 2016, e fui eleita para exercer um mandato diferente: econômico e eficiente.

  1. Como funciona o Coworking Legislativo?

A ideia é abrir as portas da Câmara Municipal, a Casa do Povo, aos cidadãos que sempre desejaram participar da gestão pública e nunca tiveram espaço. O cidadão agora pode desenvolver projetos relevantes para a sua Cidade, visando à desburocratização, transparência, austeridade pública, ou de alguma outra ideia que transforme as vidas das pessoas ou a Cidade de São Paulo. A inscrição é muito simples, basta entrar no site embaixadoresdamudanca.org., rede de voluntários do nosso mandato, e cadastrar o projeto. Nosso time realiza um processo seletivo baseado na relevância e viabilidade dos projetos cadastrados na plataforma e, após selecionado, pode utilizar o espaço e contar com o conhecimento e a mentoria da nossa equipe para definir metas, diretrizes e alcançar o resultado esperado. Podemos ajudar a viabilizar os projetos de diferentes formas: como um Projeto de Lei e tramitar na Casa, uma ação pontual ou um projeto desenvolvido com apoio da iniciativa privada, como uma plataforma ou aplicativo, por exemplo. Nosso objetivo é guiar as atividades e conectar os agentes públicos ou privados necessários para que o sonho saia do papel.

  1. Qual foi o momento mais difícil da sua carreira?

A carreira no setor público é um desafio diário, a política é uma enorme caixa preta que deve ser aberta e desvendada. Mas a viabilização do coworking foi um processo complicado e muito burocrático. Conseguimos o projeto arquitetônico, o mobiliário e a mão de obra por meio de doações de pessoas simpatizantes à iniciativa, mas tivemos que aguardar seis meses somente para conseguir uma autorização para mexer no forro do gabinete. Também tivemos que cumprir com uma série de exigências da Mesa Diretora da Casa, apesar de contarmos com o apoio do atual presidente, para que o espaço compartilhado – o primeiro em uma casa legislativa em todo o mundo – pudesse ser inaugurado.

  1. Como você consegue equilibrar sua vida pessoal x vida política?

Minha vida tem um propósito muito claro: transformar vidas e inspirar gente boa a entrar na política para transformar meu país, e isso exige acordar cedo e dormir tarde todos os dias. “Mas Janaína, o que propósito tem a ver com equilíbrio pessoal e profissional?” Tudo. Quando entendemos o porquê de estarmos aqui, respondemos com tranquilidade o que e como realizamos. Quando não temos um propósito, não nos achamos merecedores dos dois, é como se a sociedade impusesse uma escolha: um ou outro. Principalmente a nós, mulheres.

Demorei muito para conseguir ter sucesso para equilibrar vida pessoal e profissional. Na verdade, eu também não me sentia merecedora dessa dádiva.

Minha família entende meu propósito e é comprometida comigo nessa missão. Especialmente meu marido e minha irmã, que me incentivaram a entrar para a política e me apoiam em todos os momentos, e meu pequeno maravilhoso, o JP, que, de vez em quando, aparece no gabinete correndo e pintando as paredes, alegrando o meu dia. Quando chego em casa, ele é minha prioridade, e depois que ele dorme ainda vou cuidar da casa, do marido e ainda tento concluir algumas pendências.

  1. Qual o seu maior sonho?

Sonho com um Brasil sem pobreza, com as pessoas sendo livres para empreender seus sonhos e a política sendo ocupada por pessoas éticas e comprometidas em atender exclusivamente os interesses do povo, com respeito ao dinheiro público e com realizações capazes de proporcionar oportunidades para que cada brasileiro possa ser o autor de sua própria vida.

  1. Qual a sua maior conquista?

Sem dúvida é o meu filho, que é também minha maior inspiração. Tive um início de gravidez muito difícil. As crises convulsivas da infância voltaram na gestação. A gravidez sempre era tratada como uma sentença nos tratamentos de minha infância e adolescência. Lembro como um filme, do dia em que estava na obstetra e ela orientando sobre os riscos da medicação forte para o desenvolvimento do meu bebê. O apoio da minha família me fez sentir segura para enfrentar os desafios. Mudei a alimentação, fiz acompanhamento rigoroso com os médicos e fisioterapeuta, e meu JP nasceu perfeito! Mais uma vez minha vida contrariava estatísticas. E se tivesse sido diferente? Estaria lutando por ele, assim como minha mãe lutou por mim. Com isso, fica fácil entender a razão dele ser a motivação para uma das minhas maiores conquistas do meu mandato até aqui: a aprovação da primeira lei de minha autoria, construída a 100 mãos, já que conta com a coautoria de mais 50 vereadores, culminando no Plano Municipal pela Primeira Infância. James Heckman, ganhador do Prêmio Nobel de Economia, fez um vídeo em apoio à nossa iniciativa. Esse documento traz um conjunto de diretrizes que já beneficiam vidas de mais de 1 milhão de crianças de zero a seis anos. Os resultados já são expressivos: criação de 50 mil vagas, redução da mortalidade infantil, aumento do início pré natal antes da 12ª semana de gestação, incentivo à amamentação, aumento da vacinação, melhoria da merenda escolar, priorização das crianças em situação de vulnerabilidade, desenvolvimento cognitivo e habilidades socioemocionais de nossas crianças, entre outros.

  1. Livro, filme e mulher que admira.

 

Livro: “A Revolta de Atlas”, de Ayn Rand.

Filme: “Selma: Uma Luta pela Igualdade”, de Ava Duvernay

Mulher que admira: Margaret Thatcher.