Nossa Mulher Positiva desta semana é Isabela Barreto Sgorlon, uma profissional inteligente e ambiciosa, que aposta na valorização da força de trabalho feminino e que tem como objetivo de vida incentivar cada mulher a buscar seu sonho independente de qualquer dificuldade. Jovem, curiosa e atrevida, saiu de uma pequena cidade do interior de São Paulo para, sem medo, correr atrás de seus objetivos como mulher e profissional na capital! 

1. Como comecou a sua carreira?

Costumo falar que começou aos 15 anos quando eu era Guia Turística na minha cidade (Brotas) e ligava pra minha mãe desesperada pra aprender a fazer o café coado que os turistas me pediam. Aos 19 anos saí de Brotas e comecei a cursar Direito em São Paulo. Não gostei, tive síndrome do pânico, e com isso meus pais me levaram de volta para o interior tendo a certeza de que o melhor remédio era eu ficar ao lado deles. Como eu não acreditava naquilo, prestei Comunicação Social na ESPM escondida deles, passei, e cheguei em casa com o resultado na mão falando que se aquilo era o meu sonho, não havia pânico que me distanciasse dele.

Comecei a estagiar logo no segundo mês de faculdade, ganhava uma graninha que pagava meu almoço e estava bom demais. Acabei sendo efetivada no meu segundo ano de faculdade em uma empresa de Moda Premium Online (OQVestir), na qual eu fazia parte do time de marketing. Tive chefes mulheres, daquelas que te ensinam a pescar ao invés de entregar o peixe, e então fui aprendendo e crescendo lá mesmo. Passei por uma agência pra ter certeza que era empresa mesmo que eu queria e logo voltei para o varejo tradicional!

Meu negócio sempre foi querer ser diferente. Eu buscava fazer o melhor com as ferramentas que eu tinha. Me lembro de repetir várias vezes pra minha mãe: se você quer ser peixe grande, então acostume-se a nadar com os tubarões. Meu pai começou a trabalhar com 12 anos, fazia cerca de madeira, depois foi caminhoneiro, e minha mãe saiu de SP para casar com ele em Brotas, ela era professora de educação física.

Enquanto minha mãe me apoiava em conquistar o mundo, meu pai já queria mais é que eu trabalhasse na “firma” dele, hehe… mas não adiantou, meu sonho era vim pra São Paulo ganhar o meu espaço e assim eu fiz. Amo minha cidade, pratico um esporte típico de lá à cavalo chamado Três Tambores, mas de dia de semana meu negócio é estar aqui na capital!

Meus pais são separados então meu elo forte é com minha mãe, foi com ela que aprendi a ser guerreira, independente e querer começar uma carreira novinha.

2. Você é uma mulher forte decidida e lidera um grande time. Já sofreu preconceito por ser mulher?

Na verdade eu acredito muito na forma como nos posicionamos. Sempre falo que pra ser Mulher Positiva é Demonstrar em ações o quanto a mulher é capaz independente de cargo, idade, salário, dinheiro, etc. Eu nunca me coloquei diferente ou abaixo de um homem, muito pelo contrário, eu entro em todas as discussões de igual pra igual e isso faz com que eles tenham um respeito grande por mim.

Como eu fazia muita prova com cavalos, o ambiente que eu vivia tinha muito mais homens do que mulheres, e ainda assim se alguém fizesse qualquer comentário machista, eu já cortava o cidadão na hora e nunca mais acontecia.

O preconceito existe mas ele pode ser minimizado a partir do momento em que a gente coloca o limite e mostra o tamanho do nosso poder.

Eu já tive chefe homem e chefe mulher e não acho nenhum melhor ou pior que o outro, porque o que difere dos dois é a gestão e não o gênero. Não interessa se é homem ou mulher, interessa se a pessoa é uma boa profissional ou não.

Já vi várias mulheres que me questionavam que há muito pouca mulher em cargo de liderança mas quando eu perguntava pra ela se ela gostaria de ser uma diretora/presidente/ceo com as responsabilidades que exigem, elas me responderam que não. Ou seja, a gente que tem que ser firme, querer assumir responsabilidade, querer crescer, querer trabalhar e se posicionar de forma consistente, isso gera naturalmente uma posição muito mais de admiração por parte de todos do que de preconceito. Sou muito convicta disso, acho que puxo até responsabilidade demais pra mim, mas até agora tem dado certo. Não tenho um cargo ainda de grandes lideranças como as citadas acima, mas acredito muito que estou no caminho e um dia eu chego lá! Basta ser uma Menina-Mulher muito Positiva!

3. Qual o seu sonho? 

Se você me perguntasse isso aos 5 anos de idade eu diria que era ser “Secretária Eletrônica” rsrsrs.. eu achava o máximo aquela mulher “falar o dia todo”!!

Meu sonho é sempre ser a minha melhor versão. Deixar pro mundo um legado de uma mulher forte, que buscou com o que tinha fazer da melhor forma. Meu sonho é inspirar as pessoas, meus amigos, família, filhos, a olhar o mundo de forma mais positiva, agregadora. Claro que tenho sonhos profissionais mas isso já vem no meu pacote de quem quer ser sempre um ser-humano positivo e diferente. Não gosto de nada normal, nada do que é fácil, e a minha maior motivação é as pessoas falarem que de alguma forma eu inspiro elas.

Em um mundo cheio de egoísmo e machismo, quero sair da caixa e cada dia mais mostrar pras pessoas que pensar no Outro é nosso maior valor!

Meu namorado ama que sou uma mulher positiva então quero ter filhos e formar uma família forte com ele, com muitos valores e princípios.

4. Mesmo trabalhando muito você ainda tem tempo de estar sempre bonita e bem vestida, como consegue encaixar na rotina corrida?

Acho que a vida só é equilibrada quando você arruma um tempinho pra tudo! Tive muito problema renal uma época, e muito impulsionado por estress. Com isso pensei: não dá pra ter 25 anos e ir para o hospital toda semana. A partir daí foquei muito no esporte e o principal: passei a ser mais autêntica. Gosto de ser bem vestida e ter o meu próprio estilo, isso me fortalece como mulher.

Tudo é um combo: paz de espírito, você se sentir bonita, e ter uma saúde em ordem. Se um não está Ok, o outro consequentemente também não está. Me viro nos 30 e dá tudo certo!

Autoestima é muito importante pra tudo. Quando você se sente bem, você acredita que pode chegar mais longe e simplesmente chega.

5. Qual a sua maior conquista?

Acho que minha grande conquista é eu ter saído de uma cidade de 20 mil habitantes, com uma cultura completamente diferente, e ter enfrentado um “intercâmbio” pra dentro do país. Nossa maior conquista não são coisas materiais mas sim tudo o que a gente tem orgulho de ter feito!

Tenho orgulho de ser uma menina positiva, que tem vontade de espalhar que “tudo pode, basta querer”. Meu pai ama me desafiar e, quando eu ainda tinha uns 16 anos, me pediu pra que eu guardasse o carro dele. Ele sabia que a garagem era muito apertada mas ele queria só ver se eu guardaria ou se pediria ajuda. Demorou uns 10 minutos e ele mandou meu primo ir lá ver se eu tinha conseguido. Pela surpresa dele eu estava com o portão na mão. Isso mesmo, eu arranquei o portão pra ter mais espaço, guardei o carro, e voltei lá. Com esse exemplo, já fica claro o tanto que eles me instigavam a ser uma menina de Ação, sem vitimismo e sem “não consigo”.

Ainda sou super nova, acredito que eu “esteja no caminho” e me orgulho das minhas “pequenas conquistas do dia-a-dia”, morar com o namorado e administrar uma casa, ser uma boa filha, ser uma pessoa de opinião, receber um feedback positivo, uma promoção, acho que tudo isso junto, formam uma grande conquista!

6. Livro, filme e mulher que admira.

Livro: vou falar o que eu estou lendo agora – A dieta da mente. Não tem nada a ver com nada do que eu faço mas nos momentos vagos gosto muito de aprender sobre o corpo-humano.

Filme: vou falar uma série: This is Us. Estou viciada, choro em todos os episódios, e mostra muito da realidade de uma família composta por várias personalidades diferentes!

Mulheres que Admiro: Tatianna Oliva. Foi minha chefe. A mulher acorda, treina, dá café pras crianças, faz 20 reuniões no dia, dá atenção pro marido, e pensa 10 vezes na frente de muita gente. A Tati é um furacão, uma pessoa que me espelho muito. Ela consegue enxergar possibilidades pra tudo, é muito prática, objetiva, tem opinião forte e cresceu na base de muito esforço! Uma mulher extremamente positiva que me ensinou e ensina muito!

E a outra é uma amiga: Juliana Gil. A Ju é gerente de produto de uma multinacional do ramo farmacêutico. Eu admiro ela pelo simples fato de ela ser uma Mulher Positiva. Quando perdeu o namorado por H1N1, quando perdeu o pai, quando mudou de país pelo trabalho, tudo ela conseguiu reverter e enxergar uma coisa boa! Pra mim mulher admirável é isso: aquela que olha uma situação, pega e resolve ao invés de ficar sentada esperando alguém fazer por ela. Deu a volta por cima, é uma excelente profissional, casada, administra tudo e todos, e uma mulher que fala com o sorriso e com o olhar! Não há no mundo algo melhor do que você ter pessoas ao seu redor que te tragam paz e te inspiram  ser melhor! Ela inspira! Pra ela, assim como pra mim, Tudo é Possível!