Nossa Mulher Positiva desta semana é Graciela Kumruian, COO da Netshoes e responsável pela liderança de importantes projetos nas áreas de Logística e Relacionamento com Clientes da empresa. Casada, mãe de dois filhos, Graciela conta como consegue conciliar a vida corporativa com a pessoal e os desafios do mercado de trabalho.

  1. Como começou a sua carreira?

Comecei aos 17 anos trabalhando em uma loja de uniformes em São Paulo. Tinha acabado de entrar para a faculdade de Ciência da Computação e tinha que ajudar meu pai a pagar meus estudos, então vi uma vaga de auxiliar administrativo nessa loja, que ficava próxima a minha casa e me candidatei. Fiquei nessa empresa por quase 4 anos até que saí no último ano da faculdade para fazer estágio. Nesta época, tive que pensar muito bem em abrir mão do meu salário que já era suficiente para arcar com todas as minhas despesas pois meu pai tinha falecido fazia alguns meses, mas sabia que o estágio seria fundamental. A partir daí minha carreira decolou. Me formei aos 21 anos e aos  22 já assumi a gestão do meu primeiro projeto. A partir disso, segui toda a minha trajetória profissional em gestão na área de tecnologia.

  1. A Netshoes é um case de sucesso no mercado digital. Como é formatado o modelo de negócios?

A Netshoes nasceu em 2000 com uma loja física na Rua Maria Antônia em SP. Em 2001 começou a vender online e em 2007 fechou as lojas físicas e se dedicou exclusivamente ao mundo digital. Essa foi a grande sacada na época, pois a empresa passou a respirar esse universo digital e cresceu junto com o e-commerce no Brasil. Sabíamos o que o consumidor desejava quando ia comprar um produto na loja física e focamos em prover a melhor experiência de compra no online. Hoje comprar no online é algo muito simples e fácil mas tivemos que passar por diversos estágios em toda essa jornada. O consumidor foi amadurecendo até chegar aqui. Ele tinha receio de comprar e não receber, de utilizar o seu cartão de crédito e até p.ex. de consumir o seu plano de dados. Tivemos que apoiá-lo em todas essas fases. E isso só foi possível e continua sendo, pois nos colocamos no lugar do consumidor. A empresa toda, desde tecnologia até a operação tem como foco principal a satisfação do consumidor, e aliado a tudo isso e não menos importante, o ganho de escala e o crescimento sustentável.

  1. Qual foi o momento mais difícil da sua carreira?

Substituiria o mais difícil por mais desafiador e digo isso pois tenho como premissa em tudo que faço ou vou fazer olhar o lado positivo e nunca o negativo. Acredito  que foi aos 28 anos quando fui convidada a assumir toda a área de tecnologia do Tribunal Regional federal da 3ª região. Até então tinha trabalhado em consultorias de desenvolvimento de software e multinacionais de tecnologia mas sempre em empresas privadas e liderando times de até 40 pessoas. Entrar no segmento público para liderar uma área com mais 100 pessoas e sendo responsável por toda a tecnologia do Tribunal e das seções judiciárias de todo o estado de São Paulo e Mato Grosso do Sul com certeza foi algo que me deixou com muito frio na barriga. Era um universo muito diferente do que estava habituada em todos os aspectos, desde no que diz respeito a forma como deveria se posicionar, vestir, falar até no perfil dos profissionais da própria área de tecnologia que respondiam para mim e na forma e prazos que os projetos eram conduzidos. Analisando hoje, tenho certeza de que essa experiência foi fundamental para o meu amadurecimento e crescimento profissional. Aprendi na prática o que é ter resiliência, saber o momento certo de escutar e de se posicionar. E que no final, na posição que eu estava e que tinha escolhido para minha carreira, teria sempre que me posicionar e nunca ficar em cima do muro.

  1. Como você consegue equilibrar sua vida pessoal x vida corporativa.

Sou casada e tenho dois filhos. Para mim, essa minha rotina pessoal com a família e a vida corporativa me completam. Tenho um marido que me apoia muito e me dá todo o suporte para conseguir equilibrar toda essa rotina puxada. Nós mulheres, mães, executivas, aprendemos muito rápido que tudo na vida são escolhas. Não conseguimos estar em dois lugares ao mesmo tempo e isso faz parte. Então o que faço e adotei desde que meu primeiro filho nasceu, é que sou muito disciplinada com horários e compromissos. Quem trabalha comigo sabe que as reuniões são sempre pontuais, com pautas muito definidas pois durante o tempo que estou na empresa, faço com que esse tempo seja o mais produtivo possível. Chego cedo mas às 18:30 estou saindo para ficar com meus filhos. Aí só vou conectar novamente por volta das 22:30 para ler mensagens depois que eles dormiram. Aos finais de semana estou sempre com eles e faço questão de planejar as férias familiares.

  1. Qual o seu maior sonho?

Costumo viver um dia de cada vez sem planejar ou ficar pensando muito no futuro. Perdi meus pais muito jovem e desde cedo tive que aprender que tudo que eu sonhasse ou desejasse eu mesma teria que correr atrás. Todas as vezes que as oportunidades apareciam eu me agarrava a elas. Por isso o que tenho em mente é acreditar que é possível, pensar positivo. Independente das dificuldades que encontraremos pelo caminho, se acreditarmos e corrermos atrás as oportunidades virão e a realização também, tanto no campo profissional como pessoal.

  1. Qual a sua maior conquista?

Tenho muito orgulho da pessoa que me tornei e de estar onde estou. Sou de descendência Armênia, que tem uma cultura muito machista. Pelo meu avô, mulher era criada para casar e cuidar do marido e dos filhos e por ele eu só casaria se fosse com armênio. E eu nunca aceitei muito bem isso, para mim eram todos iguais independente do sexo. Queria ser tratada como meu irmão e ter o direito de escolher como seguiria minha vida. Contrariando tudo, estudei tecnologia – área predominantemente masculina, me formei, casei com um descendente de japonês e italiano e sou totalmente realizada pela família que construí e pela minha trajetória profissional. Neste ano fui reconhecida pelo maior portal de tecnologia dos Estados Unidos – ZDNet, como uma das 10 maiores influenciadoras de tecnologia no Brasil. Isso foi uma enorme conquista e reconhecimento que com certeza traz um forte sentimento de realização.

 

  1. Livro, filme e mulher que admira.

Filme que recomendo para todos é o “Estrelas além do tempo”. Conta a história de 3 mulheres batalhadoras, de muita garra, que enfrentaram todos os tipos de preconceito e se destacaram com muito esforço, perseverança e atitude conquistando seus espaços.

Livro, gosto muito muito do “Faça acontecer” de Sheryl Sandberg que além de contar os desafios que enfrentou em sua trajetória pessoal e profissional, traz muitas reflexões sobre as questões relacionadas aos gêneros no ambiente de trabalho e como enfrenta-las.

E entre as mulheres que admiro está Angela Merkel, que tem uma habilidade indiscutível de liderança com muita prudência em seus posicionamentos não se omitindo de discutir temas polêmicos ou difíceis.