Nossa Mulher Positiva é Denia Salu; educadora física, empresária e agora coordenadora do Projeto de Massificação Maria Esther Bueno do Instituto Tênis na cidade de São Paulo. Ela contou com exclusividade sobre sua vida esportiva, sua vida de trabalho e familiar e sua entrada no projeto, que tem por objetivo proporcionar que crianças que, devido ao caráter ainda elitista desta modalidade, nunca teriam a possibilidade de conhece-lo. E ainda que as crianças que tiverem uma habilidade natural, ou que simplesmente gostem da experiência, o projeto proporcione a continuação da aprendizagem numa escola formal de tênis. Em um segundo momento, o projeto  tem por objetivo a descoberta de talentos que possam um dia jogar no alto-nível competitivo nacional e internacional.

1. Como começou a sua carreira?

A minha carreira de jogadora de tênis, foi iniciada como a de muitas crianças tenistas, fazendo aulas de tênis nas escolinhas de seus clubes, o meu era o extinto, clube de regatas Tietê.

Nesta época, quando estava fazendo a final da Copa Esperança, da categoria 10 anos no Esporte Clube Pinheiros, fui convidada pelo diretor de tênis da época, sr Grassi, a fazer parte da equipe de tênis de competição. Deste momento em diante, comecei a me dedicar mais ao esporte e a sonhar em ser uma atleta profissional.
Já como jogadora juvenil, eu participava de todos os melhores torneios paulistas e brasileiros que haviam e foi neste período, que fiz minha primeira viagem internacional para disputar o torneio Orange Bowl em Miami, na época estava com 15 anos e pude sentir o que era participar de um grande evento de tênis. Foi uma experiência incrível, passei a ter certeza que queria ser uma profissional do esporte.
Sempre com muita dedicação aos treinamentos, continuei participando de quase todos os  torneios nacionais, sendo varias vezes campeã paulista e brasileira com a equipe do Pinheiros em Interclubes.
Como consequência natural do meu desenvolvimento no tênis, parti para jogar torneios internacionais. Comecei fazendo o circuito na América do Sul, onde fiz meus primeiros pontos na WTA (Women Tennis Assotiation) e tive 02 títulos de duplas e posteriormente fui jogar na Ásia e Europa.
Nesta primeira temporada temporada, do outro lado do mundo, em Israel, fui contratada por um clube na Alemanha, para jogar interclubes, o Lörach Tennis Club. Este vínculo com este clube, me ajudou a me manter financeiramente na Europa jogando torneios e onde tive muitas experiências e amizades que me moldaram a pessoa que sou hoje.
Como profissional, tive o melhor ranking individual 400 do mundo e nas duplas 220, não foi uma colocação excepcional, mas a vivência de ser uma atleta deste esporte, de falar 04 idiomas, conhecer o mundo e ter amigos e vivências únicas, me fazem ser eternamente grata por ter seguido este caminho.
Após o período de jogadora, fiz faculdade de educação física na UNISA e extensão universitária em personal trainer na FMU e pós graduação em treinamento desportivo na Unifesp.
No período universitário, fui campeã brasileira universitária o JUBS e tive a oportunidade de participar dos Jogos Universiade, (Mundial Universitário) em Fukuoka no Japão. Foi um dos momentos mais incríveis como atleta, experiência ímpar em participar de um evento deste porte.
Na sequência, como professora e treinadora de tênis, até os dias atuais, me sinto uma pessoa especial, pois trabalhar com o que se gosta, é um previlégio.

2.  Como é formatado o modelo de negócios do ( incluir aqui o nome do seu negocio e o que vc quiser  incluir sobre a maria esther bueno ) ?

Desde 1992, ainda na faculdade de educação física, iniciei a dar aulas de tênis, onde estou até hoje e onde tenho a Academia de tênis Denia Salu, espaço dentro do Grand MERCURE Hotel, onde consigo desenvolver, junto com minha equipe, o ensinamento, aperfeiçoamento e diversão do esporte a nossos alunos.
Neste espaço temos 02 quadras de tênis, e além das aulas, organizamos ranking e torneios.
Agora em abril de 2019, um novo desafio está surgindo em minha vida, vou iniciar aulas de tênis na escola estadual Júlio de Mesquita Neto, está que será a primeira escola na cidade de São Paulo, a fazer parte no projeto de massificação do Instituto Tênis. Projeto este que iniciou a 04 anos e já está em varias cidades do Brasil e tem como desafio, fazer um tenista de ponta.
Como primeira coordenadora mulher do projeto Maria Esther Bueno, vou ter como desafio extra, um olhar especial as meninas, pedido feito a mim, pelos sobrinhos da maior tenista brasileira, Maria Esther Bueno, quando estavam negociando a entrada de seu nome ao projeto.
Isto me enche de responsabilidade, mas me dá muito prazer.

3. Qual foi o momento mais difícil da sua carreira?

Como atleta, os momentos mais difíceis, são quando nos lesionamos.
Em meus 22 anos, uma lesão no ombro direito, fez a  minha carreira ser interrompida, mas aproveitei meus conhecimentos, fui estudar, trabalhar e hj sou muito feliz sendo professora e empresária.

4. Como você consegue equilibrar sua vida pessoal x vida corporativa/empreendedora.

Tenho muita energia e sou organizada. Sendo assim, vou fazendo as coisas da empresa, de casa, das minhas aulas particulares e organizando as atividades da minha filha e minhas atividades particulares (treino, cabelereiro, massagem, compras de supermercado, etc) e nem percebo que fiz muitas coisas, hahaha

5. Qual o seu maior sonho?

Como o esporte desenvolve valores importantes para a formação do caráter, como honestidade, garra e resiliência entre outros aspectos importantes ao desenvolvimento humano, espero que trabalhando neste projeto, eu e meus colegas, sejamos o gatilho de mudança na vida destas crianças.
Que possamos com muita dedicação e amor, passar valores conquistados e aprendidos por todos nós, dentro da quadra de tênis.

6. Qual a sua maior conquista?

Gosto de pensar, que como faço as coisas com muita dedicação e amor, que eu seja um bom exemplo a minha filha, minha família, meus amigos e pessoas que estão perto de mim no dia a dia, pois com boas atitudes e sorriso no rosto, podemos ajudar a ter um mundo melhor.

7. Livro, filme e mulher que admira

Livro: O poder do agora, Eckhart Tolle

Filme: Como estrelas na Terra, Aamir Khan

Mulher: Admiro muitas mulheres, mas vou citar a Maria Esther Bueno, por ter sido um ícone de nosso esporte em uma época em que as condições de treino e viagem, eram super adversas, principalmente as mulheres.