Captura de tela 2015-06-24 20.13.17

Campanha I’m no Angel, da marca de lingerie Lane Bryant, que faz contraponto à beleza perfeita das Angels da Victoria’s Secret

Claro que é bem mais fácil encontrar uma roupa que caia bem se a gente é a Gisele Bündchen, não vou nem entrar nessa questão. Mas o fato é que, dos 7 bilhões de habitantes desse planeta, só um é a top model mais bem paga. Então, vamos parar de falar mal do próprio corpo e brigar com a aparência? Já que não dá pra ser a Gisele (pena, adoraria) vamos, só por hoje, parar de olhar no espelho e dizer que o corpo é horrível, que a barriga tá feia, que o braço tá gordo ou qualquer coisa assim. Eu acho que quem está incomodada mesmo mesmo mesmo a esse ponto deveria de fato fazer dieta e correr pra academia djá. Mas como a maioria de nós não está nem na esteira e nem na frente de um prato de salada nesse momento,  é porque tem coisas mais divertidas/importantes/gostosas pra fazer. Então, o mais fácil mesmo é lidar bem com o que já está vendo no espelho. E aceitar o que a gente tem como um presente da natureza e consequência das nossas escolhas (no meu caso, brigadeiro e champanhe). Passar o dia detonando o próprio corpo deve fazer um mal danado pro espírito e te obriga a comer ainda mais brigadeiro e tomar ainda mais champanhe.

Outro dia fui na palestra da coach Ana Raia, que lembrou a plateia de importância de se olhar no espelho e dizer: “tô gata!”. Entre minhas clientes, amigas e entre as mulheres com quem convivo, vejo muita energia gasta em auto depreciação. Deu, né? Nesse video produzido pela Dove, mulheres são convidadas a anotar em um diário todas as auto-críticas por uma período, uma semana acho. Depois, são convidadas para um café e, na mesa ao lado, ouvem duas mulheres conversando. Uma está falando para a outra tudo o que elas disseram a si mesmas durante a última semana. É tão agressivo que elas ficam chocadas. Quando eu vi isso parei pra pensar se o tratamento que eu estava dando a mim mesma era o que gostaria de receber de uma amiga. Já pensou nisso? Você se elogia ou só se detona diante do espelho?

Quando atendo clientes (mulheres fazem isso bem mais que os homens), tento extrair delas a beleza que elas já tem, não importa o peso, os pneus, os cabelos brancos etc, e transformar isso com a imagem que podemos construir a partir daí. Não considero aqueles quilos que todo mundo diz que um dia vai perder. Trabalho apenas com a beleza e o bem-estar imediatos. E me esforço para vestir com respeito  o corpo que está ali, não o corpo possível ou desejável. E vou dizer que quase todo mundo sai muito feliz com isso. É um exercício de aceitação e tira um peso das costas. Agora vai, corre pra frente do espelho, põe uma roupa bonita e repete comigo: TÔ GATA!

Veja dicas de beleza, moda e bem-estar no meu Instagram  @fabianacorrea_estilo