Ao olhar as araras, procure bons tecidos, acabamento de qualidade e prefira o que está com os melhores descontos

Ao olhar as araras, procure bons tecidos, acabamento de qualidade e prefira o que está com os melhores descontos

Um pequeno guia para comprar bem e montar um guarda-roupa de valor sem gastar fortunas

Não seria lindo se o governo nos desse uma bolsa-estilo? Uma quantia semestral para que a gente pudesse comprar algumas roupinhas novas, acessórios bacanas, aquele sapato lindo. Enfim, nada de extravagâncias, apenas artigos de primeira necessidade para renovar o closet. Mas como ainda não temos essa pessoa de visão fashion integrando a equipe econômica brasileira, vamos falar de como ter o melhor guarda-roupa possível e durável dentro de qualquer orçamento. Aquele guarda-roupa que deixa qualquer uma com cara de rica, mesmo que a dona não tenha gasto nenhuma fortuna. Vem comigo!

1) Liquidações: são as chaves do sucesso. Melhor do que sair comprando roupas e acessórios logo que aparecem nas vitrines a cada estação, estude o que gosta, veja o que realmente tem a ver com você, observe outras pessoas usando (se virar uma febre absurda, pode ser que você enjoe antes mesmo de levar pra casa), pense como coordenar aquilo com o que você já tem. E quando a liquidação chegar, vá lá e compre. Muitas lojas mantém um mailing avisando quando os descontos começam. E muitas lançam a coleção de inverno em pelo mês de janeiro. 38 graus lá fora, você não vai querer comprar um suéter de cashemere, vai? Então se joga nos descontos. As lojas online são também ótimas pedidas, porque assim você acompanha exatamente a hora em que a sua peça-desejo entra na liquida.

2) Bazares e pontas de estoque – Descubra os outlets das suas marcas prediletas e acompanhe os bazares, geralmente noticiados em blogs de moda ou roteiros de revistas. Cris Barros, Huis Clos, Giulianna Romano, Maria Bonita, todas elas têm seu momento de grandes descontos. Quem mora em São Paulo tem muitas oportunidades de comprar roupas de suas marcas prediletas com descontos que chegam a 70% (e até passam disso). Alguns são permanentes, outros acontecem uma vez por ano. E todos valem a pena. Só tome cuidado para não comprar só porque estava barato. Faça exatamente da mesma maneira que você compraria em uma loja normal: pensando e repensando se vai usar, se vai coordenar, se tem a ver com seu estilo.

3) Qualidade, não quantidade – Esse é meu lema quando se trata de roupas. Mil vezes comprar uma peça boa, que vai fazer A diferença no seu guarda-roupa e durar muitas estações do que três camisetinhas que não passam da segunda lavagem, algo super comum nas cadeias de fast fashion (que chamam assim exatamente por isso). Invista seu dinheiro em peças que durem – tanto em termos de estilo quanto de materiais. Assim você vai ter roupa com cara de nova sempre – e sem ter que comprar tudo novo a cada estação. E, atenção, isso não quer dizer apenas grandes marcas pois mesmo entre elas pode haver algo que não vai viver tanto. O negócio é aprender a olhar tecido, olhar costuras, acabamento.

4) Hi-Low – a famosa mistura entre peças de qualidade impecável com a camisetinha que eu falei acima é uma santa saída para não ter um guarda-roupa que custe fortunas. Assim você compra uma peça baratinha de vez em quando para renovar (e satisfazer aquela vontade fashion) e multiplica suas roupas boas e duráveis. Um casaco bom e chiquetoso levanta o astral de qualquer top de algodão podrinho.

5) Quem usa, cuida – Essa é outra regra de ouro para guarda-roupas bacanas. Tem que ficar atenta ao jeito que a roupa é lavada, se tem que lavar a seco, se tem que esfregar só à mão. Roupa de qualidade tem que receber cuidados à altura. Vale o mesmo para bolsas e sapatos, que precisam estar limpos e de preferência dentro de saquinhos antes de se guardar.

Dicas de guarda-roupa com cara de rica no meu Instagram, @fabianacorrea_estilo

PS: a loja da foto é a UMA, na Vila Madalena, que tem muita coisa boa.