A gente vive em um mundo de excessos. Excesso de informação. Excesso de imagens. Excesso de amigos (no Face, digo). Excesso de consumo. E, nessa, muita gente constrói um guarda-roupa excessivo. Só de entrar no closet ou de abrir a porta, já dá preguiça. Você já reparou que, quando está diante de muitas possibilidades, a dificuldade de escolher é muito maior? Sabe aquela prateleira de band-aid da Duane Reade, em NY? Tem uns 47 tipos de band-aids. Pra pele clara, pra pele negra, pra quem transpira muito, pra quem tem alergia, pros pés, pro joelho, resistente à água, pra espinha, transparente, sem adesivo, redondo, comprido, mega grande…AFE. E se você é negra, transpira nos pés e vai entrar na piscina? E se for indiana e tem alergia ao adesivo? Como combinar todas essas opções no mesmo band-aid para o calcanhar? Geralmente, saio correndo ou sento na calçada com aquela imagem da prateleira na cabeça, em desespero, com bolha nos pés latejando e sem conseguir escolher. E nessa já perdi uns 733 neurônios. Na boa, não quero gastar neurônios escolhendo curativo. E muito menos escolhendo roupa de manhã. Por isso é que, se o seu guarda-roupa tá parecendo uma prateleira de band-aids da Duane Reade, vem comigo e vamos JÁ fazer um detox nisso aí, menina.

  1. Excesso é uma das piores coisas da vida. Em tudo. No closet, nem se fala. Menos é mais, acredite. Quanto menos roupa você avistar pela manhã, mais fácil vai ser encontrar o que precisa. Ainda mais se o seu espaço for limitado. Recomendo que se deixe uns três dedos entre um cabide e outro. É muito mais gostoso não ter que puxar a roupa com toda força do meio de outras milhões de peças pra poder ver o que tem ali. Espaço no guarda-roupa abre espaço na mente.
  2. Mens sana in closet sano. Um guarda-roupa organizado pressupõe uma manhã organizada. Sou daquelas que poderia achar o que quero no meu closet se acabasse a luz. Não sou a pessoa mais organizada do mundo – pelo contrário. Mas se a primeira coisa que eu vir de manhã for uma gaveta toda revirada, atrapalha muito meu estado mental. Perco tempo com algo que não merece.  Por isso mantenho as coisas sempre no mesmo lugar, pelo menos no closet.
  3. Uma vez ouvi uma dica mara de um pisquiatra, quando eu falei que estava me sentindo confusa e sem foco. Em vez de me receitar ritalina, ele me mandou organizar as gavetas. Nunca mais voltei. Ao arrumar as coisas de fora, a gente se reorganiza por dentro. Duvida? Vai lá e depois me fala.
  4. Se você olhar bem, vai ver que tem muita roupa repetida. Quantas camisetinhas brancas? Quantos tops de alcinha bege ou rosa claro ou off white? Quantos casaquinhos pretos? Um ou dois tá bom, né? O planeta dos tops off white não vai se implodir. Tire os excessos do closet e, se no futuro faltar um top desses, nada que uma ida rápida ao shopping não resolva. E não vai custar um absurdo.

Já falei muito sobre organização aqui porque organização muda a vida. Muda a sua relação com seu guarda-roupa. Nas consultorias de estilo, a etapa da organização emocional é uma das que mais faz efeito sobre a vida das clientes e sobre sua relação com sua imagem e suas roupas. Quer ler mais? Tem muita ajuda pra se organizar por aqui, ó: Organize seu guarda-roupa, sua vida vai mudar e O guarda-roupas de 37 peças.

Me conta quando conseguir, ok? E se quiser mais sobre estilo, vai lá no meu instagram @fabianacorrea_estilo

Até!