Uma das etapas de um projeto de interiores que gera muita confusão entre cliente, profissional e fornecedor caso não seja bem especificada e alinhada às expectativas do comprador é a escolha das pedras, sejam elas naturais ou sintéticas, para bancadas e balcões de cozinha, área gourmet e banheiro.

(ANELISA LOPES ESCREVE ÀS TERÇAS. PERFIL NO INSTAGRAM: @anelisalopes)

Extração de pedras naturais (foto: Pinterest)

Antes de iniciar o projeto, muitos clientes já possuem uma ideia definida do que gostam, mas em quase 99% dos casos não conhecem as propriedades do material que desejam adquirir e acabam se frustando com garantias e assistência técnica do material depois que foi instalado.

As pedras naturais (extraídas da natureza) são divididas em sete tipos: mármore, granito, quartzito, limestone, basalto, travertino e ônix. As sintéticas (produzidas pela indústria) são divididas em oito grupos: dekton, neolith, silestone, lâminas porcelânicas, quartzo, nanoglass, branco prime e corian. Cada uma delas possui um nível de resistência e características próprias, por isso, é preciso analisar detalhadamente sua aplicação.

O primeiro ponto é estudar o local onde a pedra será instalada para entender sobre a incidência de luz e água, probabilidade de manchas, tráfego intenso, consequências da dilatação estrutural e questões de segurança. Dessa forma, o cliente vai saber exatamente como lidar com sua escolha.

São muitas as especificações de cada tipo de pedra, mas, de uma forma geral, é importante ressaltar que as pedras naturais podem receber polimento (as chapas chegam a ter uma espessura de até 3 cm), enquanto as sintéticas restringem manutenções posteriores por serem “slim”.

Por outro lado, o primeiro grupo não possui garantia, uma vez que são produtos extraídos da natureza, já o segundo pode sofrer com a ação da resina e dos pigmentos que fazem parte da composição de alguns tipos ao longo do tempo, como o quartzo. Por isso, é importante analisar a indecência de sol e a possibilidade de queda de líquidos na superfície no local.

O valor de cada material varia conforme a cotação do dólar, quando importados, oferta e demanda e frete, dependendo de onde a extração é feita ou de onde o material vem (frete). Não se esqueça que, dependendo do tamanho da chapa, é necessário contratar o serviço de içamento. E o primordial: o acabamento e a instalação devem ser sempre feitas por profissionais habilitados.

Bancada de revestimento de marcenaria de dekton (foto: Archproducts/Pinterest)