Uma das principais dificuldades que percebo entre amigos e familiares ao iniciarem uma empreitada por conta própria – seja uma mudança para um lugar maior, reforma ou apenas repaginação dos ambientes – diz respeito à marcenaria. Imaginar “alguma coisa” para acomodar objetos e pedir para que um profissional a execute é uma das primeiras iniciativas tomadas neste processo, mas se ela não for completamente planejada e realizada por um bom profissional, o que seria a solução acaba se tornando um pesadelo. 

(Anelisa Lopes escreve sempre às terças. Acompanhe alguns de seus projetos e referências no Instagram: @a81_design)

Marcenaria planejada deve ser executada com projeto para ser solução e não problema (foto: arquivo pessoal)

Em primeiro lugar, as pessoas que não possuem familiaridade com projetos não têm capacidade de mensurar quanto de espaço vão realmente precisar. Seja por falta de tempo em classificar o que está enfiado nos armários ou mesmo ideia da quantidade de coisas que possui, ela acaba comprando ou fazendo mais ou menos do que precisa. A primeira dica, então é: faça uma organização prévia do que quer manter e onde vai guardar. 

Posteriormente, numa planilha, separe qual cômodo vai receber quais itens, como por exemplo, louças e copos na sala de jantar, jogos de cama e toalhas no quarto de hóspedes, sapatos na lavanderia… as compras no supermercado são feitas semanal ou mensalmente? A dispensa possui prateleiras suficientes? Fazendo este trabalho anteriormente, você já terá uma prévia de quais locais vão necessitar de um projeto de marcenaria.

Por último, exija que o marceneiro faça o desenho dos móveis no ambiente ou contrate um designer ou arquiteto para fazer a proposta para que haja completo aproveitamento de espaço e para que vigas, colunas ou tubulações não se tornem um obstáculo. Dia desses, por incrível que pareça, visitei um apartamento em que o split do ar-condicionado travava a abertura de uma porta do guarda-roupa por “erro” de projeto. Se tivesse sido feito no computador previamente, seria praticamente impossível que este tipo de engano se tornasse realidade.

Um bom marceneiro trabalha não só com projetos, como também dá ideias de funcionalidade, materiais apropriados e, claro, deve ter um senso estético. O barato, nestes casos, pode sair caro.