No ano passado, meu marido e eu compramos um imóvel na planta para entrega em julho de 2024. Há alguns dias, recebi um e-mail da incorporadora para avaliar as opções de personalização na planta. É muito cedo para isso? Vale a pena?

(ANELISA LOPES ESCREVE ÀS TERÇAS. SIGA SEU PERFIL NO INSTAGRAM: @anelisalopes)

Personalização de imóvel (foto: arquivo pessoal)

O processo tem duas etapas. Na primeira, a escolha se baseia em oito opções de layout, nivelamento ou não da varanda gourmet e instalação da infra de ar-condicionado em todo o imóvel ou em cômodos específicos. Já a segunda contempla a oferta de três opções de piso. O valores desta primeira fase começam em R$ 500 e podem chegar a quase R$ 45 mil se o cliente contratar todos os serviços. 

Há algumas questões que devem ser respondidas antes desta tomada de decisão. No meu caso, tenho um prazo de 20 dias para conclusão da fase 1 – depois disso, a planta seguirá o padrão oferecido pela construtura e não poderá sofrer alterações. 

A principal vantagem dessas mudanças oferecidas pela construtura estão na garantia fornecida pela empresa, que já terá as autorizações necessárias e seguirá todas as normas da edificação, e a antecipação da data de mudança para o novo imóvel, uma vez que a duração da reforma “grossa” diminuirá consideravelemnte lá na frente. 

Já as desvantagens estão no alto valor a pagar para a incorporadora (apesar de eles alegarem que conseguem um melhor preço devido ao alto volume de contratações) e na possibilidade de modificação pontuais no projeto ao longo da espera pela entrega das chaves – lembre-se de que você não poderá ver as alterações neste período, que gira em torno de 20 meses. 

Em primeiro lugar, é preciso analisar se você terá um profissional contratado, seja designer de interiores ou arquiteto, para realizar a reforma na entrega do imóvel. Se essa for a ideia, já entre em contato com ele para fazerem juntos um esboço do que pensa para o projeto. Assim, ele consegue avaliar se a contratação dos pacotes oferecidos pela construtura vale a pena no momento.

A minha planta de projeto, por exemplo, não contempla nenhum dos layouts oferecidos. O mais próximo disso me custaria R$ 5.000 com a integração da varanda e uma alteração do ponto de gás. Além deste ponto, também farei um deslocamento na hidráulica, que não está inclusa neste pacote ofertado, o que me levará a fazer uma nova intervenção no piso posteriormente. Assim, no meu caso, esses pacotes oferecidos não valem a pena. 

De qualquer maneira, tentarei negociar com a construtora a entrega sem qualquer tipo de revestimento para trocar este serviço por outro e, principalmente, para evitar desperdício de material. 

Se a ideia, no entanto, for uma reforma na entrega por conta ou se o cliente não terá tempo de acompanhar este processo e quer se mudar assim que o empreendimento for liberado, pode ser uma boa opção para se livrar de possíveis dores de cabeça futuras com obra.