Depois de dez anos como moradores de um sobrado, meu marido e eu decidimos colocar a casa à venda e comprar um apartamento. A primeira opção foi pelos modelos antigos pela maior área e pela possibilidade de reforma, mas, no fim, decidimos partir para os apês na planta em razão da maior oferta de área de lazer para as crianças.

(ANELISA LOPES ESCREVE ÀS TERÇAS. CONHEÇA SEU PERFIL NO INSTAGRAM: @anelisalopes)

Os diferentes estilos de vida das gerações têm um papel fundamental não só na forma como encontrá-los – meus pais buscavam anúncios no jornal e passavam o domingo rodando pela cidade para marcar visitas com corretores – como no projeto dos empreendimentos. Hoje, selecionamos imóveis pelo celular, fazemos tour virtual, tratamos de negociações via WhatsApp e, em alguns casos, temos a possibilidade de escolher o layout que mais favorece nosso dia a dia. 

Tour virtual possibilita visita à distância no imóvel (imagem: Matterport/Pinterest)

A principal preocupação dos meus pais, na época, era encontrar um imóvel com “sacada” e vaga coberta de garagem. Meu marido e eu, por outro lado, estamos em busca de uma planta que permita flexibilidade no layout somada a uma boa oferta de entretenimento infantil. 

De acordo com a plataforma de imóveis novos Apto,  os principais critérios de busca dos millennials, aqueles nascidos entre 1981 e 1995 – eu mesma! -, são ampla área de lazer, varanda com churrasqueira, vista panorâmica, infra-estrutura para ar-condicionado e possibilidade de ampliação da sala. Essas características se devem não só pelos hábitos, mas pelo desejo de se estabelecer em um imóvel com a família em formação. 

“Os millennials buscam qualidade de vida, localização e um ambiente autêntico. Não é só a escritura, metragem, número de quartos ou a quantidade de vagas na garagem tornam o imóvel especial, mas as experiências que podem ser vividas dentro das quatro paredes”, explica Alex Frachetta, CEO do Apto.

Cozinha integrada é uma das prioridades entre os millennials (foto: Casa de Valentina/Pinterest)

Assim, aqueles com idade entre 25 e 44 anos querem espaço que preze a liberdade para circulação, com menos portas e janelas. Por isso, uma varanda que possa ser integrada à sala e à cozinha para reunir a família e receber amigos, assim como sofás amplos e confortáveis com uma iluminação intimista, estão no topo de suas prioridades. Além disso, o gosto por plantas e jardinagem se traduz na instalação de hortas verticais.

Já para os que pertencem à geração Z, que são os jovens com idade entre 18 e 24 anos, o importante é estar perto do metrô/trem, a oferta do programa Minha Casa Minha Vida para facilitar o pagamento, a preparação para automação na residência e um espaço dedicado aos animais de estimação. Em busca do primeiro imóvel, essa geração tem se estabelecido com frequência nos apartamentos tipo studio. 

Já na decoração, uma característica marcante da geração Z é o reforço de personalidade com toques pessoais ou uma estética específica, como, por exemplo, “decoração com tema de skate” ou “banheiro cor de pêssego”, expressões que tiveram sua busca multiplicada entre maio de 2020 e abril de 2021 no site de buscas Pinterest. 

Temática específica, como banheiro cor de pêssego é uma das preferências da geração Z (foto: Loko Loko/Pinterest)