Consagrado pelos orientais, o cumprimento com o corpo parece já consolidado no meio ocidental em razão da epidemia de COVID19. A mudança no relacionamento social, no entanto, não está restrita à forma de se cumprimentar. Escritórios, restaurantes, academias e escolas têm adaptado seu layout para evitar o contato próximo entre as pessoas. E, até a chegada da vacina, deverá ser dessa forma. Será que a adaptação do espaço físico mudará a relação entre nós? 

(ANELISA LOPES ESCREVE SEMPRE ÀS TERÇAS. ACOMPANHE SEU PERFIL NO INSTAGRAM: @anelisalopes)

 

Bancos com encosto alto e pequenas mesas para manter o foco e evitar contato (foto: Jemena Workplace)

Tomando como base os escritórios que passaram a receber funcionários e colaboradores com a liberação gradual dos prédios, acredito que poderá mudar não só as relações pessoais, mas principalmente as profissionais. Sou de uma época em que as baias ainda eram “necessárias” para evitar a distração e aumentar a produtividade dos empregados. Cada um no seu quadrado, com interação somente na hora do almoço e nas pausas do cafezinho. 

Nos últimos anos, com a chegada de start ups e modelos de negócio que dependem mais de um sinal de wi-fi que de um espaço físico, as barreiras se foram e deram lugar a grandes bancadas de trabalho que tinham como objetivo favorecer debates e e apresentações. E que, sinceramente, em algumas situações, acabavam se tornando reuniões intermináveis e com pouco resultado. 

E agora? Esse modelo ainda se sustentará? Em primeiro lugar, protocolos de higiene ditarão as regras: automação que controla portas, janelas e número de pessoas no local, mobiliário móvel que permite reuniões em vários ambientes e, ao mesmo tempo, também se isolar dos demais, assentos com encostos altos com mesinhas integradas, além de muitas e muitas tomadas e entradas USB para carregamento de celulares e notebooks. E esqueça, por enquanto, o “cantinho” do café. 

Se esse é o cenário do futuro, com certeza será influenciado pelo distanciamento físico e, consequentemente, poderá mudar a forma como nos relacionamos – principalmente com aqueles que temos interações profissionais. Fluxo e foco deverão ser as palavras-chaves para esse nova forma de trabalhar e se relacionar.

Fluxo e foco são palavras-chave para guiar as interações profissionais e sociais (foto: Jemena Workplace)