Se você olhar ao seu redor, a França pode estar muito mais presente na sua casa do que esteve no último domingo, quando ganhou o mundial de futebol contra a Croácia e ecoou seu bicampeonato mundial pelos lares afora. O mais bacana é que, apesar de estes elementos serem usados há séculos, podem ganhar uma releitura contemporânea para se encaixar em vários estilos de projeto. Confira estas três inspirações francesas de decoração que possuem centenas e centenas de anos, mas ainda são muito procuradas para os projetos atualmente. Qual a sua eleita?

(Anelisa Lopes escreve sempre às terças. Acompanhe alguns de seus projetos e referências no Instagram: @a81_design)

Provençal 

O provençal vai além de elementos de decoração e pode ser encarado como um estilo de vida. Surgiu como uma forma de levar os elementos da corte francesa para as casas de campo de uma forma mais despojada, ou seja, os artesão faziam reproduções dos móveis dos castelos com madeiras mais simples e utilizavam uma técnica de revestimento para cobrir as irregularidades do material – esta aparência envelhecida é conseguida atualmente com a pátina. Apesar de parecer romântico e campestre por usar estampas florais e tons claros como o branco e tons de lilás, verde e rosa, o provençal pode ganhar uma releitura contemporânea com o uso minimalista de pedra e madeira. 

O provençal prevê um estilo simples, porém, acolhedor (foto: Pixabay)

Boiserie

Centenas de anos atrás, placas de madeiras desenhadas eram usadas como isolamento térmico nas paredes. Hoje em dia, a boiserie ganhou um formato mais limpo e elegante. Além de ser um recurso bonito e barato para incrementar as paredes, as placas ou apenas molduras podem ser instaladas em qualquer cômodo. Feitas também de gesso ou poliuretano, são aplicadas com cola especial e seguem diversas combinações de desenhos, do rebuscado ao geométrico. 

As boiseries, ou molduras na parede, podem ser usadas das mais variadas formas (foto: arquivo pessoal)

Poltrona Luis XV

Tendência entre a nobreza e, posteriormente, a burguesia europeia, o estilo Luis XV foi imortalizado pela poltrona que leva o mesmo nome, criada no século XVIII. Feita de madeira nobre com entalhamento rebuscado e tecido acolchoado, foi ganhando linhas mais básicas ao longo dos séculos, chegando às mãos do renomado designer francês Philippe Stark, que criou a Louis Ghost, cadeira de policarbonato inspirada no famoso móvel antigo e definida por Stark como “resultado natural do passado, do presente e do futuro”. Mesmo com mais de dez anos desde a sua criação, a cadeira continua contemporânea. 

Inspirada na poltrona Luis XV, a Louis Ghost já completou mais de uma década, mas continua atual (foto: divulgação)