Costumo dizer que a contração de um designer de interiores ou de um arquiteto prevê as mesmas situações que as de um casamento: ele entra na sua rotina e na sua casa e por lá pode permanecer por semanas, meses e até anos. E como em toda relação, apesar de esta ser contratada, é preciso inteligência emocional para extrair o melhor desse convívio. 

(ANELISA LOPES ESCREVE SEMPRE ÀS TERÇAS. ACOMPANHE SEU PERFIL NO INSTAGRAM: @anelisalopes)

 

Parceria é palavra-chave para extrair o melhor na contratação de um profissional (foto: Pinterest)

Assim como nem todo serviço em que se paga mais caro se tem o melhor resultado nem todo o cliente que paga menos é o pior. Um projeto bem sucedido não depende só de boas ideias, mas da cooperação mútua entre contratante e contratado. Muitos clientes não têm ideia de como funciona todo o processo de uma consultoria ou reforma, então, conversar e tirar dúvidas é primordial para iniciar o serviço. 

A palavra-chave para o sucesso de uma empreitada é parceria. E engloba várias outras: participação, confiança, empatia, comprometimento e bom senso. Delegar a total responsabilidade de um projeto nas mãos do profissional pelo fato de estar “pagando” – a não ser que isso seja combinado previamente, afinal, o combinado não sai caro – pode acabar em frustração. 

Seguem, então, dicas para extrair o melhor para que essa parceria seja de sucesso e se estenda em outras demandas:

  • Esmiuce sua rotina não só com os compromissos, mas, principalmente com os hábitos de toda a família desde que a hora em que acordam até o momento de dormir. Um pequeno detalhe pode mudar o caminho de um projeto;
  • Selecione imagens de várias áreas (moda, culinária, esportes…) que sirvam de referência para seu gosto. Este trabalho normalmente é feito pelo profissional – e, muitas vezes, o cliente nem sabe -, mas, como disse anteriormente, um bom casamento não acontece de um lado só;
  • Não seja omisso no agendamento de reuniões ou visitas à obra. O profissional lida com prazos e é imprescindível tomar decisões no momento correto para que não haja atrasos e iniciativas unilaterais;
  • Ao mesmo tempo, não seja o papagaio de pirata do projeto: lembre-se de que confiança é fundamental e, por isso, você contratou alguém para tornar sua morada ideal;
  • Bom senso ao concluir que a famosa frase “vamos aproveitar e fazer isso já que o pedreiro estará lá hoje?” não dá o direito de levar mais por menos: muitos serviços são executados por profissionais que recebem por diária. Colocar um quadro na parede, por exemplo, pode levar mais de duas horas dependendo da complexidade do processo. Da mesma forma que, na possibilidade de fazer algo do tipo, o profissional não cobre por um trabalho corriqueiro;
  • Os melhores projetos são aqueles em que existe troca de ideias, humildade em absorver e ceder, discutir sem passar por cima e, acima de tudo, que crie um vínculo que traga não só uma nova casa, mas uma boa relação de amizade.