Nove entre cada dez clientes que possuem apartamento alugado têm na ponta da língua a resposta para realizar uma transformação mais profunda no espaço onde vivem: “é alugado e não vou gastar com isso”. Eles não deixam de ter razão, mas em partes. Como viver em um espaço que não lhe agrada pelo fato de ser um bem que não te pertence, mas que te acolhe diariamente?

(ANELISA LOPES ESCREVE ÀS TERÇAS. PERFIL NO INSTAGRAM: @anelisalopes)

Adesivagem, tapete, pendente e persiana mudaram por completo a aparência deste quarto (foto: arquivo pessoal)

Na maior parte das vezes, o proprietário concorda com uma mudança ou outra e acaba descontando o valor no aluguel, uma vez que a reforma pode valorizar seu imóvel. Claro que ninguém fará marcenaria planejada em todos os cômodos, mas existem formas super viáveis de deixar um espaço mais funcional e confortável. Se for o caso, peça o advogado fazer um aditivo no contrato com as especificações e mãos à obra.

De uma forma geral, é possível pensar em pintura, papel de parede ou envelopamento, móveis soltos, tapetes e plantas para incrementar os espaços. Considere itens que possam ser combinados entre si, independentemente de serem lisos ou estampados, e que possam ser carregados para uma próxima mudança. Atenção para as medidas de sofás e mesas de jantar: eles não precisam e não devem ocupar toda a dimensão das salas. 

Os ambientes de área molhada (cozinha, área de serviço e banheiros) são os que necessitam de maior investimento e dão mais trabalho para mudar devido às questões hidráulicas e de revestimento de chão/parede. Mas não são uma missão impossível.

Em primeiro lugar, verifique se há alguma infiltração ou vazamento para corrigir. Em seguida, considere uma boa limpeza de revestimento, troca de cor de rejunte ou até polimento de piso. Evite colocar adesivos nesta área, pois, com o tempo, acabam engordurando e pesando ainda mais o ambiente. 

Tinta epóxi ou acrílica ainda é a solução mais indicada para mudar sem gastar muito. Se você for pintar por conta, comece pelos cantos menos visíveis, já que o processo necessita de um pouco mais de cuidado e técnica que a pintura comum. E faça isso depois de limpar bem as superfícies. 

No banheiro, considere um box de vidro no investimento (hoje em dia já não custam mais uma fortuna) e um espelho grande com formato diferenciado para que as atenções se voltem a ele. Muitas vezes, em bazares ou casas de família vende tudo é possível econtrar móveis antigos que possam servir de apoio para uma cuba nova.  Jogos de toalhas de banho, rosto e piso fazem uma boa diferença visual. Quadrinhos e um pendente que ilumine todo o espaço adequadamente também são uma boa pedida para incrementar o espaço. 

Neste banheiro, o apoio da cuba foi encontrado em um bazar e custou R$ 70 (foto: arquivo pessoal)

Muitas vezes, as cozinhas antigas possuem blocos volumosos de marcenaria, o que acaba deixando o local claustrofóbico. Para não perder o espaço de armazenamento, considere trocar puxadores e tirar algumas portas para deixar eletrodomésticos ou potes de vidro à mostra. Vasos com temperos e plantas são bem-vindos na cozinha, mas não no banheiro por conta do vapor frequente do chuveiro. 

Na área de serviço, a regra número um é organização. Prateleiras, cestos para roupas sujas e para passar, além de porta vassouras e baldes discretos sob o tanque já farão uma grande diferença. A pintura da parede pode seguir o mesmo tom da cozinha para que dê uma sensação de continuidade entre os ambientes.