Imagem Blog 2807Todos nós sabemos o que fazer para emagrecer. Comer menos e nos exercitarmos mais. No entanto, praticar esta fórmula não é tão simples assim. Não gostamos de fazer dietas e temos preguiça de fazer exercícios.

Vamos ser honestos sobre algo: praticar exercícios muitas vezes pode parecer uma chatice. Para muitos, essa forma de enxergar o exercício é constante. Mas é possível mudar isso e fazer com que você realmente desfrute ao praticar exercícios?

Desde que comecei a trabalhar como coach de emagrecimento, venho percebendo como a indústria da saúde e bem-estar vem enfatizando a necessidade de estabelecer e alcançar metas de fitness para todos, de adolescentes a avós, e não apenas para atletas. Isso é fantástico, mas nem sempre foi assim. Há 20 anos, era difícil encontrar hotéis, condomínios ou até parques com estruturada adequada para atividade física. Hoje, isso está totalmente diferente. Essas atividades estão cada vez mais acessíveis e por onde você anda, encontra essa estrutura. Os condomínios são verdadeiros clubes e é difícil encontrar um parque que ainda não tenha instalado aparelhos para a prática de exercícios. Agora não tem mais jeito, estamos sendo duramente pressionados a praticar exercícios.

Embora isso seja verdade, muita gente ainda tem dificuldade em se comprometer com um treino. Você sabe que tem que se exercitar, mas realmente não quer, independentemente do desejo de estar em forma?

O que você pode fazer para mudar isso? Entre as ferramentas que podem ser usadas e que eu, particularmente, mais gosto e utilizo, estão as ferramentas de mudança de padrão mental usadas em um processo de coaching. Estas ferramentas são técnicas que, se utilizadas adequadamente, tornam-se uma maneira de nos livrarmos de emoções indesejadas que possam estar sequestrando nossa resposta saudável a diversas situações em nossa vida, incluindo o modo como vemos e nos sentimos sobre a vontade de nos comprometermos com a prática de exercícios físicos.

Na correria em que vivemos, trabalhamos duro o dia inteiro e, com certeza, exercícios são a última coisa que queremos incluir na agenda. Por vezes, saímos às ruas e não nos conformamos como alguém pode ter disposição de caminhar às 06h00 da manhã, em pleno inverno. Nós nos sentimos culpados por isso e, muitas vezes, frustrados por não conseguirmos nos dedicar, temos uma sensação forte de fracasso. Nos atendimentos, tenho visto justificativas como: “Eu realmente quero entrar em forma, mas simplesmente não tenho tempo”, “ Não tenho nenhuma disciplina para nada”, “Eu nunca vou ficar em forma”, “Eu sou causa perdida” “Eu sou preguiçoso”, “Eu fico todo dolorido”.

Pensando assim, você já tem seu modelo mental programado e agirá exatamente dessa forma. Dificilmente terá disposição para fazer qualquer tipo de atividade. E pior do que isso é que, sem perceber, compensará toda essa frustração com comida.

Ter uma Mente Magra, não diz respeito apenas à forma como me relaciono com a comida, mas à forma como me relaciono comigo mesmo. É o quanto estou atento ao meu bem-estar e qualidade de vida.  Por isso é tão importante usar essas técnicas de mudança de modelo mental. Elas vão te ajudar a identificar quem você está tentando enganar protelando essa ação de cuidar de você mesmo. Além disso, elas também são capazes de treinar a sua mente a ter vontade e disposição para praticar exercícios físicos.

Se você tem essa dificuldade, pense nisto, tudo pode ser diferente.

Abraço.