Imagem blog 010916Somos uma combinação dos dados que temos em nosso subconsciente. Desde o nascimento, um bebê começa a aprender, através de suas experiências, quem ele é na realidade e como o mundo em torno dele funciona. Cada experiência que ele tem é interpretada por seu subconsciente e arquivada como dado de referência para uma futura “verdade”. Este é um sistema de programação automática que permite que nos adaptemos e nos encaixemos no mundo ao nosso redor, independentemente de onde tenhamos nascido ou vivido. Ele nos permite desenvolver as competências necessárias para a nossa sobrevivência, além de nossos traços de personalidade, preferências, medos, inseguranças, e gatilhos emocionais.

Tudo o que estamos experimentando na vida atualmente é o resultado de quem somos. Nossas escolhas e decisões são baseadas nas crenças e registros mantidos em nosso subconsciente. Esses registros nos fornecem não só uma compreensão do mundo e de como ele funciona, mas também de quem somos, na verdade, não de quem realmente somos, mas quem acreditamos ser.

Diante disto, você está feliz com quem você é? Se você não está, o que o incomoda e o impede de conquistar tudo aquilo que sempre quis? São suas habilidades? Seus hábitos ruins? Seus repetidos erros nos relacionamentos? Faça uma lista, anote tudo aquilo que gostaria que fosse diferente. Pense que é possível alterar quem você é com base no que quer alcançar na sua vida e dê prioridade a isso. A chave é mudar os dados sobre si mesmo que estão produzindo os resultados que você não quer em sua vida e manter as peças que são resultado das coisas que você quer. Tire um momento para pensar sobre a primeira coisa na sua lista do que lhe incomoda. Feche os olhos, respire fundo e observe como você se sente quando pensa sobre esse comportamento indesejado. Observe todos os detalhes das memórias sobre esse comportamento, pensamentos e sentimentos. Veja o quanto esse comportamento te incomoda e tente perceber onde ele começou, em que momento foi aprendido e com quem. Identifique qual foi a razão deste aprendizado e, assim que o fizer, pense em algo que possa substitui-lo e que vá de encontro ao que você gostaria de mudar. Faça isso repetidas vezes e com todos os itens da sua lista.

Ter uma Mente Magra não significa apenas se relacionar bem com a comida, mas sim relacionar-se bem consigo mesmo e estar certo que suas escolhas estão de acordo com aquilo que você quer para a sua vida.

Abraço.

Andrea Romão

Coach de Emagrecimento