Você acaba de incluir mais um time na lista dos que acompanha.

foto: divulgação


Preciso começar essa história dizendo que sofri com a saída do Neymar do Barcelona. Afinal, aprendi com meu filho a amar o time catalão. Ver o que eles fazem em campo é demais!

 

Em outubro do ano passado, fui para Espanha com uma amiga. Nunca vou me esquecer da única encomenda que recebi pra viagem:

– Mãe, traz para mim o segundo uniforme do Barça, o roxo !? (da temporada 2016/2017) Não vai confundir com o verde, hein?”

 

Até ali, eu nem sabia que os times tinham tantos uniformes oficiais. Só para ganhar dinheiro, pensei. Claro! E o pior é que vende igual água, porque quando a gente está numa loja e se lembra dos feras em campo, dá vontade de levar tudo.

 

Foi ali que eu me dei conta de que, realmente, eu tinha me “apaixonado” pelo Barcelona. Aconteceu sem que eu percebesse. Certeza de que esse sentimento é um pouco fruto da paixão do meu filho de oito anos, que é fã do Neymar, do Messi, do Piqué e até do uruguaio que mordeu a orelha de um jogador na Copa aqui do Brasil, o Suárez.

 

Vida de pai e mãe é assim: quando os filhos amam um coisa, aquilo passa a fazer parte da nossa rotina. Se o negócio não enjoa, nem irrita, quando você se dá conta, começa a achar graça também.

 

Por isso, foi difícil aceitar a saída do Neymar do Barça. A boa notícia é que, graças aos meninos, já entendi que a ida para o PSG pode ser muito boa para ele, que será o jogador mais importante do time.

 

Se é para ver Neymar brilhar, então, que a França reserve boas surpresas. E que a gente se prepare para vibrar e pra conhecer e querer tudo do PSG!

 

*Dê um clique no vídeo, porque tem entrevista com dois meninos fofos, sonhadores e fãs do Neymar, o novo rei da França.