foto: Pixabay – escolhida pela Gabi

 

 

Se tem uma coisa gostosa e que faz a vida ficar melhor é a amizade. Duvido que alguém discorde.

Amigos e amigas vão brotando na vida, mas só alguns ficam.

Tem a melhor amiga de infância, as amigas da adolescência, a melhor amiga baiana, a melhor alagoana, a amiga do estágio com quem você, depois, trabalhou junto e que virou uma das madrinhas de casamento, a amiga que foi casada com o amigo do seu marido, as melhores amigas da escola, as amigas de intercâmbio, as amigas gringas, aquelas dos antigos trabalhos, as amigas mães que você conquistou por causa dos filhos, as da rede social com quem você interagia com muita frequência e trocava histórias mesmo sem conhecer pessoalmente, as amigas que eram virtuais e, agora, são reais, as amigas vizinhas, as do atual trabalho que te respeitam e torcem por você de verdade. E por aí vai…

Todas têm valor. É ou não é?

 

Mas tem um tipo que parece ainda mais valioso, é aquele que costumo chamar de amizade com lastro. Amizade que tem história. E tem intimidade, verdade, cumplicidade e afinidade. Sabe?

Felicidade é ter amigas assim, que não se perderam nos últimos anos.

O coração fica preenchido. Dá saudade e aquela vontade de viver perto quando se vive longe, de poder encontrar mais, de passar tempo juntas, de poder abraçar (vacinadas), sem medo de passar vírus.

 

Amizade com lastro costuma ser mais resiliente e resistente. Ao tempo, à distância, às mudanças, aos altos e baixos da vida. Mas para essas e pra todas as outras, amizade verdadeira depende de afinidade e também de esforço. Tem que ter disposição, doação e, às vezes, até perdão.

 

Vencidos os obstáculos, tem coisa mais gostosa do que passar tempo com amiga?

Tem, claro. Mas já descobri que esses encontros estão no meu top 5 de coisas que mais me fazem feliz. E é uma felicidade que me traz um bem estar que se prolonga. Sinto que o prazer das conversas, das histórias, das memórias, do carinho, da torcida mútua e da amizade têm efeito no meu coração e na alma não só no dia do encontro, mas também nos seguintes. É como uma pílula de felicidade sem contra-indicação e com atuação prolongada. Estou sob o efeito dela mais uma vez e feliz, a despeito das circunstâncias.

Ô maravilha, pura benção!

 

*Vem pro @eupriscilladepaula que já foi Mãe Sem Receita também no Instagram. Vem, gente!