Recebo diariamente muitas pacientes mulheres em busca de mudanças desde a terapia tradicional para o autoconhecimento, como também para a obesidade, transtornos alimentares, depressão, problemas no casamento, com filhos, entre outros, mas o que me chama a atenção é a grande dificuldade que as pessoas têm de não se darem colo.

Há um grande equívoco quando acreditamos que sempre precisamos do outro para nos ajudar e quando nos sentimos sozinhos temos a tendência de sofrer com a solidão, como se não tivéssemos recursos para cuidar de nós mesmos, nos acarinhar.

Muitos estão sempre se lamentando que o outro não  dá afeto, carinho, mas pergunto o que essas pessoas dão a si mesmo, além de somente se queixar? Por que é tão difícil cuidar de si mesmo?

Acredito que parte dessa resposta esteja na crença que construímos de que precisamos sempre do outro para nos ajudar, sejam os pais, amigos ou parceiro, é claro que isso nos faz um bem enorme quando temos a quem nos ouvir e acolher, mas nem sempre o outro pode dar conta de nossa dor e nesses momentos só temos a nós mesmos.

Dar-se colo é a forma mais amorosa que podemos fazer com a gente mesmo, cuidar-nos para que possamos ouvir o nosso coração, intuição, nosso luto pelas perdas diárias e/ou refletir sobre as mudanças que necessitam ser realizadas para alcançarmos novamente o bem-estar.

No processo terapêutico fica bem claro que é muito difícil parar para refletir sobre a necessidade de se recolher, de se presentear com uma massagem no fim de um dia estressante ou até de ser mais flexível consigo mesmo quando não se está conseguindo alcançar as metas pretendidas.

Precisamos o tempo todo apresentar resultados no trabalho, cumprir tarefas pendentes e perder o peso tão sonhado, mas será que é preciso ser tão rígido consigo o tempo todo ou será que dá para se dar colo, ser flexível e entender que acima de tudo somos humanos e que nem sempre é possível fazer tudo da forma que se gostaríamos.

Creio que é o momento de reavaliar as expectativas que temos em relação ao outro, mas principalmente em relação a nós mesmos, desta forma tiramos um imenso peso do corpo e da alma.