O fim de semana sempre é visto como um momento de comer algo gostoso e especial, acordamos cedo e já preparamos aquela comidinha gostosa para a nossa família. Eu me lembro de quando eu era pequena o prato especial era macarrão, lasanha ou maionese, era um dia em que tínhamos mais tempo para sentarmos juntos e apreciar o momento. O refrigerante naquela época não causava alarde, até porque entrava nas casas somente em alguns momentos.

Como não havia tantas ofertas e variedades de comidas normalmente comíamos o básico, eu andava a cidade toda de bicicleta, ia a pé para a escola e tudo favorecia para que a saúde estivesse em equilíbrio. Muitas coisas mudaram desde então, a qualidade da comida, a forma com que são preparadas e a grande oferta de variedades que nos levam a querer experimentar sempre mais.

Temos comidas típicas espalhadas pela cidade, casa de doces, de chás, de sorvetes, de massas, churrascarias, hamburguerias e tudo mais que se imaginar. Comida para todos os tipos de paladares, que recheiam a imaginação e faz a boca salivar. As mídias também nos apresentam receitas fantásticas, as pessoas postam suas preferências, as propagandas se espalham e invadem a nossa tela, e o grande desafio é como lidar com todas essas ofertas sem comprometer a saúde e o bem-estar.

Sempre uso um exemplo muito simples com os meus pacientes, pergunto a eles o que fazem quando o carro deles fica sem combustível. Rapidamente me respondem que colocam gasolina, álcool ou diesel. Pergunto por que não colocam um suco ou um refrigerante. Acho que agora ficou claro ou ainda não entendeu a relação?

É claro que uma hora ou outra podemos sim comer ou beber algo do qual gostamos muito, mas é diferente quando se consome com frequência alimentos dos quais não trarão benefícios a médio e longo prazo. Talvez seja esse um dos aspectos que mais impactam na nossa saúde, temos por hábito esperar acontecer algo mais sério para acordarmos para o que realmente é necessário.

Precisamos dizer sim para a nossa saúde e mudar os hábitos que frequentemente impactam, que geram problemas sérios de saúde e muitas vezes sem soluções. Vivemos um momento em que os alimentos estão sendo transformados  e não temos controle sobre esse fato, mas podemos a partir de pequenas mudanças agregarmos mais alimentos saudáveis e inclusive nos tornarmos responsáveis pelo o que iremos preparar ao invés de comprar tudo pronto.

Em qualquer cantinho da casa ou apartamento podemos plantar alguns itens de consumo e nos beneficiar com a qualidade do alimento. Uma hortinha no chão ou mesmo suspensa, mas também temos a opção de alimentos orgânicos. É preciso estar atentos à forma de preparação, pois há formas e formas de se perder ou preservar as propriedades dos alimentos.

Quando dizemos sim para a nossa saúde buscamos meios para nos tornarmos mais atuantes nesse complexo ato de se alimentar, além de com isso fortalecer o nosso organismo com um todo. Dizer sim para a saúde do corpo implica em tomarmos nas mãos a tarefa de cuidar da prevenção evitando o aparecimento de doenças que podem gerar diversas complicações ao nosso organismo.