Alguma vez você já se pegou acordando no meio da noite para comer? Saiba que essa síndrome é bem comum em obesos, aumentando a prevalência conforme o grau de obesidade apresentada. É importante lembrar que toda dieta irregular pode levar ao desenvolvimento dos transtornos alimentares, e pessoas obesas normalmente têm um histórico bem longo de tentativas de perda de peso.

Os comedores noturnos relatam que ao ingerirem uma pequena porção de um alimento acabam perdendo o controle e exagerando na quantidade. Esse comportamento ocorre no meio da noite e escondido das pessoas com as quais convive, e após esses episódios é comum sentirem-se culpados, o que afeta diretamente a autoestima.

Esses exageros ocorrem normalmente um pouco antes de irem dormir ou no meio da noite e ao acordarem pulam o café da manhã e restringem o consumo alimentar durante todo o dia. Esse padrão de comportamento afeta diretamente o humor, aumentando a ansiedade, a irritação e o cansaço.

As pessoas que apresentam essa síndrome normalmente são mais ansiosas, estão mais expostas a situações de estresse e ao sono irregular. Um círculo vicioso se instala em que o comportamento de privação de uma alimentação equilibrada durante o dia leva ao comportamento compulsivo à noite e de madrugada, acentuando todo o quadro apresentado.

A psicoterapia é um dos tratamentos utilizados para o tratamento da síndrome do comer noturno com o intuito de levar o paciente a entender o próprio comportamento e se responsabilizar pelas mudanças que são necessárias para que o quadro apresentado melhore. Geralmente há a necessidade da intervenção de um psiquiatra e de um nutricionista para que o tratamento seja efetivo.

A hipnose aliada à psicoterapia também vem se mostrando eficaz, pois existem diversas técnicas que somadas à psicoterapia facilitam o paciente a mudar a alimentação e, consequentemente, ocorre a perda de peso e a motivação em mudar definitivamente o comportamento em relação à comida.