Sabemos que a todo momento pessoas se conhecem e muitas se tornam opções interessantes para se iniciar um relacionamento. Aos poucos a relação vai se estreitando, nasce o desejo de se conhecer melhor, de passar a noite conversando, tudo vai se construindo, a cada palavra, a cada olhar e, finalmente, o desejo de ficar junto.

Vamos construindo essas relações e na grande maioria das vezes projetamos o que gostaríamos no parceiro, ou seja, idealizamos muito e esse pode ser um grande problema para que a relação se expanda, pois é nesse momento que saberemos  se teremos ou não condições de lidar com o outro da forma que é.

Parece tão fácil, mas na realidade não é. Primeiro precisamos olhar claramente para as diferenças, para os desejos de cada um, sonhos, padrão familiar, atitudes e muitas vezes iremos identificar que não nos agrada. Devemos olhar com sinceridade e avaliar se podemos conviver com o parceiro da forma como ele é, suas atitudes, sua forma de pensar e ser.

Talvez alguns de vocês pensem que isso não será preciso, afinal com o tempo irá conseguir mudar o parceiro e este irá se transformar na pessoa que você tanto deseja. De duas uma, meu amigo, ou você passará a vida brigando e se frustrando por não conseguir ser feliz ao lado dessa pessoa, ou o parceiro cederá a todas as suas demandas e ficará infeliz, pois se anular para agradar alguém não é o caminho do amor.

Já acompanhei casos de pessoas que não suportavam a família do parceiro e foi dando um jeito de afastá-lo dos entes queridos antes até de se casarem, então será que há possibilidade de êxito quando isso ocorre? Ou mesmo quando nos casamos com alguém que odeia viajar e você ama? Um adora acordar cedo e correr todo fim de semana e você não gosta que ele corra, com isso todo fim de semana vira um problema?

Estes são pequenos exemplos que ocorrem na vida do casal e é preciso ser muito verdadeiro com o que se é e com o próprio desejo para poder construir um relacionamento com alguém que tem desejos diferentes de você. Aqui entra a maturidade, cada um com seu momento de fazer o que se gosta, respeitando e apoiando o outro. Pessoas felizes formam um casal feliz, constroem uma base sólida, um casamento mais resistente.

Não há como negar que pequenas rusgas irão acontecer e podem ser até bem interessantes quando olhadas e conversadas com maturidade. É sempre fundamental ficar claro que entre o casal não deve ter jogos e competições, e sim muito amor, acolhimento, conversa e respeito. Escorregamos é claro, mas juntos podemos entender a melhor forma de funcionar.

Se houvesse uma fórmula ideal seria maravilhoso, mas como não tem, vamos seguindo, dando o nosso melhor, entendendo que cada um é um ser único, traz uma bagagem de vida diferente da nossa e se por acaso seus olhos brilharem, é possível que com muito carinho, gentileza e conversa vocês possam ir se adequando e aprendendo como serem felizes juntos.