Quando eu decidi escrever sobre esse tema não pude deixar de lembrar de uma imagem que vi no Instagram sobre uma moça malhada na porta de uma academia, ela comentou como é fácil para as pessoas apontarem defeitos e fazerem julgamentos, mas pouco fazem por si mesmos para chegarem ao mesmo patamar. Esse é um exemplo típico que demonstra o quanto é mais fácil reclamar do que sair da zona de conforto e mudar aquilo que deseja, pois ter um corpo malhado não é para qualquer um não, e sim para aquelas pessoas que se dedicam diariamente para chegarem a um resultado satisfatório.

Podemos pensar que essa insatisfação pessoal se origina de um padrão racional em que a pessoa está sempre presa ao plano das ideias, contabilizando os prós e os contras de tudo que pensa em realizar. Perdem um tempo absurdo analisando e compilando dados, mas não conseguem sair desse ciclo do querer para o fazer. É muito importante se aprofundar nesse aspecto para compreender quais são os mecanismos de defesa que estão atuando para essa não realização, que, a grosso modo, nos leva a pensar na dificuldade que se tem em mobilizar energia para fazer os projetos alavancarem.

Usam da lógica para justificarem a falta de compromisso e não aderência, ficam relativizando tudo, quando, na verdade, não conseguem mesmo é tomar uma decisão mais assertiva. Direcionam o olhar para fora, reclamam, se lamentam. É fácil reclamar, o difícil mesmo é parar, analisar e aceitar que algo está errado, e que precisa se dedicar para mudar essa realidade.

Esse é o grande desafio, olhar para dentro, compreender quais são as motivações internas que nos mantêm no lugar da estagnação. A princípio parece fácil esse processo, mas a verdade é que nunca é fácil mudar, temos uma personalidade que foi lapidada desde que éramos pequenos, fomos modelando as figuras de autoridade com as quais convivemos. Adquirimos hábitos que estão arraigados, desenvolvemos um olhar a partir dessa experiência, e mudar é um desafio que envolve muita energia, muita entrega e coragem de arriscar.

Mas existem algumas dicas que podem ajudar você nesse caminho, veja:

– Desenvolver o hábito de acordar cedo, desta forma terá mais tempo para se dedicar às tarefas rotineiras e ao desenvolvimento de novos projetos;

– Praticar uma atividade física que seja prazerosa, pois servirá de estímulo para iniciar o dia com um suprimento de energia e bem-estar;

– Fazer um planejamento mensal para a realização de pequenas metas, pois quando ampliamos muito os nossos prazos acabamos perdendo o foco;

– Se propor a mudar pequenos hábitos todos os dias, como, por exemplo, tomar mais água, ler um capítulo de um livro, fazer um elogio para um amigo;

– Meditar pelo menos cinco minutos para melhorar a concentração, a criatividade, pois além de diminuir a ansiedade, irá promover um estado de relaxamento;

Ao nos dispormos a mudar pequenos hábitos diários vamos incorporando um novo estilo de ser, saímos do perfeccionismo e da insatisfação que nos faz perder tempo, paramos de reclamar e assumimos o controle sobre os nossos comportamentos. Afinal, todos nós temos oportunidades para mudarmos o rumo de nossas vidas, mas  para que isso ocorra é preciso entender que a única pessoa capaz de fazer isso é você mesma.