Muito tem sido falado sobre esse tema. Livros foram lançados, cursos, palestras e vivências. Mas alcançar o propósito nem sempre é uma tarefa simples, na maioria das vezes será preciso muita caminhada e exploração interna.

É muito comum ouvirmos pessoas que dizem estar insatisfeitas com a vida, com o trabalho, sempre ouço queixas em que o tema principal tem sido o desencaixe, o não se sentir inteiro, fazendo parte da vida que se tem ou do trabalho que desenvolve. Um sentimento de vazio que vai crescendo e abrindo lacunas, que se torna um peso a ser carregado caso não se encontre um caminho que faça sentido.

Talvez na época de nossos antepassados essa questão não fosse tão relevante, havia um conceito de sobrevivência que ultrapassava a questão do prazer e felicidade, mas hoje é diferente, sentimos um incômodo que grita por algo mais, que nos faça sentir encaixados. O que muitas pessoas não sabem é que esse sentimento também pode ser alcançado trabalhando em algo que não seja o voluntariado, cada pessoa irá buscar essa satisfação interna ao seu modo.

O importante é que ao escolher como se quer empregar os seus dons e talentos você possa estar alinhado com um propósito maior, que faça eco dentro de si. Que lhe faça acordar pela manhã animado, que os olhos brilhem e o sentimento seja de gratidão. Fazer o que lhe dá satisfação reverbera em todas as suas atitudes, harmonizando o ambiente e suas relações.

O servir como voluntariado também é um lindo caminho, é um canal de amor que quando aberto proporciona a quem precisa acolhimento, amor e felicidade. Há uma renúncia sobre os resultados e o reconhecimento, o foco é somente dar o seu melhor com o coração aberto e compaixão.

Mas quando a insatisfação está presente é preciso olhar para dentro de si mesmo, avaliar a vida e abrir espaço para trilhar novos caminhos. A decisão pode ser difícil, tenho visto pessoas com ótimos empregos abrindo mão da comodidade para buscar o que traz um sentido maior para a alma. E está tudo certo, o que nos move deve ser maior do que o dinheiro em si, apesar de ser uma energia muito importante para a nossa sobrevivência. Mas poder escolher um caminho que faça os seus olhos brilharem, tem outro valor, capaz de fazer com que se desapegue de velhos conceitos que lhe engessam.

O importante é que as suas escolhas estejam de acordo com o que sente ser necessário no momento, se é a busca pelo reconhecimento, tudo bem. Se a busca é por um novo sentido para a sua vida, está tudo bem também. Cada qual em um caminho, em um momento. Não esquecendo somente de olhar sinceramente para si mesmo e se perguntar se sua vida e suas escolhas lhe preenchem, e se a resposta lhe arranca um sorriso dos lábios, então está tudo certo.