por Luciana Kotaka

Vivemos um bom momento para falarmos sobre nosso lado sombra, afinal quem quer mostrar ao mundo sentimentos e comportamentos que de alguma forma são censurados pela sociedade.

Aprendemos desde pequenos que precisamos e devemos ser educados, a geração antiga leva esse peso ainda mais forte, por virem de uma educação extremamente rígida, onde a criança não tinha direito de se expressar. Hoje vivemos um momento mais livre, sendo mais fácil falar do que se sente, porém ainda assim a palavra educação vem de alguma forma bloquear comportamentos que seriam assertivos, pois há uma confusão muito grande entre ser mal-educado e falar o que se pensa, e sente, em nossa sociedade.

Com as eleições tivemos a oportunidade de presenciar de perto sentimentos de raiva, perda de controle, agressividade com o outro, pois essa disputa presidencial promoveu uma cisão de opiniões que mexeu com o que se tem de mais íntimo, pessoas colocando seu ponto de vista com muita agressividade, colocando para fora a raiva contida, o lado sombra.

Até eu que sou uma pessoa discreta quanto a minha vida pessoal acabei sendo alvo de comentários abusivos em função de ter compartilhado um vídeo em que uma jornalista foi agredida por um candidato. Minha intenção não era falar sobre as eleições atuais, mas compartilhei por ficar chocada com o comportamento do candidato, nem estava interessada se foi esse ano ou não, meu foco era outro, e quando vi fui questionada de forma agressiva sobre a divulgação.

Ora, nem em minha página tenho o direito de postar o que quero? As pessoas não fazem questão de entender a intenção da postagem, o que de fato quis questionar. Isso mostra de forma clara o quanto acabamos vomitando situações, sentimentos que estão entalados  e que não sabemos colocar para forma de maneira adequada, seguramos tantas coisas malresolvidas que ao invés de arrotarmos e, aos poucos, colocarmos para fora de maneira tranquila e assertiva, seguramos e quando nos damos conta vomitamos, de forma que agride o outro e causa um impacto desnecessário, incorretamente.

É fundamental que possamos educar nossos filhos para que aprendam a falar o que incomoda, ensiná-los que falar o que pensa e do que não gosta é importante, que tem formas adequadas de se colocar sem ofender, porém para isso também devemos agir dessa forma, pois nem sempre o confronto é algo fácil e agradável, mas podemos escolher como falar e se colocar frente a essas situações. Assim serão pessoas mais seguras, mais preparadas para o embate da vida.

Agora, nós que já somos adultos devemos lembrar que não podemos sair falando o que queremos, existe o respeito ao outro, os limites que cada um pode ir, formas de agir com elegância, educação acima de tudo. O livre arbítrio é de cada um e se percebe que anda vomitando por aí é chegada a hora de cuidar-se, procurar ajuda especializada, afinal nós psicólogos estamos preparados para trabalhar com as questões do comportamento humano e ninguém está livre de passar por um processo de mudança e reavaliação de comportamento.

O lado sombra pode e deve ser trabalhado, faz parte de cada ser humano, desta forma não adianta camuflar e fazer de conta que não existe, e sim olhar e buscar melhorar.