Percebo uma crescente onda de pânico assombrando as pessoas, a cada semana chegam mais casos no consultório, o que significa que tem muita gente sofrendo e sem recursos internos para resolver os seus conflitos. A falta de sentido na vida, a dor que corrói dentro do peito, a confusão mental, o não reconhecimento de seu papel e valor na sociedade, o não se sentir amado,  estão entre as queixas que mais ouço.

Quanto mais recursos tecnológicos e liberdade, mais desespero e carência. Parece que a balança pendeu drasticamente para o outro lado, o poder fazer o que se quer e como se quer, não é o suficiente para que as pessoas se sintam felizes. Sinto que caiu por terra mais uma ilusão que foi sustentada por anos, de que o poder de escolher o que fazer poderia ser a saída de qualquer dor. E não que esse caminho não seja maravilhoso, mas nos coloca em uma situação em que é preciso ter recursos emocionais e estrutura para dar sustentação aos desejos e escolhas.

A falta de alicerce remete a uma sensação de pânico, ao mesmo tempo que se quer viver, surge o medo de não dar conta, de não saber como. Arrisco dizer até que uma grande maioria dessas pessoas se assusta com a possibilidade de se sentirem leves, tranquilas, pelo menos em um primeiro momento. A vida nem sempre é acolhedora, muita gente nunca soube o que é viver sem brigas, sem tensão. Não sabem o que é amor, acolhimento, validação, então quando há a chance de se olhar e experimentar algo diferente de sua realidade, recuam, se fecham e o pânico toma conta.

É importante que consiga olhar para essa dor com carinho, com o cuidado que talvez nunca tenham tido com você, mas que você é capaz de se dar. Poder ir um pouco mais fundo, olhar as raízes desse medo, dessa ansiedade que está tomando conta. O que é que dentro de você grita por socorro? Que parte de você ainda não se sente seguro de experimentar novos caminhos ou mesmo de conseguir lidar com o que a vida apresenta no momento?

Uma outra possibilidade é respirar, mas me refiro a estar presente nesse momento da respiração. Pare, feche os olhos, inspire e expire com calma, lentamente, prestando a atenção no que está fazendo. Se permita a experenciar a calma e a tranquilidade várias vezes ao dia com essa simples técnica. Existe uma crença de que só gastando dinheiro poderemos alcançar mudanças e obter a cura, mas há diversas formas de diminuir essa sensação ruim que toma conta de você e respirar é uma delas.

Quando assumimos a responsabilidade por nossos comportamentos e pensamentos, entendemos que mudar é uma movimento interno que irá se manifestar no externo, mudando a nossa realidade. Então, lhe convido a explorar um pouco mais o que está se manifestando em seu corpo e sua saúde, para entender melhor o que esses sintomas estão querendo lhe mostrar, o que lhe fortalecerá e ajudará a enxergar as dificuldades e medos de forma mais assertiva.