Um dos aspectos que mais incomodam os pacientes que chegam para tratamento da obesidade é sobre a dificuldade em conseguirem controlar o peso, sendo que no trabalho são pessoas determinadas e de sucesso. Essa é uma questão bem interessante, pois o processo de emagrecimento exige muita disciplina e organização, dois aspectos que são fáceis de entender, mas que são difíceis de se colocar em prática quando a questão é a perda de peso.

Quando decidimos bater uma meta, ela se torna mais fácil em função do foco e da disciplina, como também da decisão interna de fazermos o nosso melhor para o sucesso da nova empreitada. Preparamo-nos anos para podermos assumir um determinado cargo ou função e assim vamos colocar em prática todo o nosso conhecimento. Se não nos prepararmos dificilmente iremos conseguir, porque a vida exige conhecimento, experiência, e que tenhamos garras para chegarmos a um determinado objetivo.

Mas quando o assunto é emagrecimento nos esquecemos do quanto é complexo esse processo, que nem todas as pessoas conseguirão cumprir esse objetivo com facilidade, aliás, são pouquíssimas as que conseguem emagrecer e manter o peso eliminado. São muitos os fatores que irão influenciar no emagrecimento, porém é preciso entender a complexidade do mesmo.

Desde pequenos nos relacionamos com a comida, vamos aprendendo o que devemos ou não comer de acordo com os hábitos e escolhas de nossos pais. Crescemos e experimentamos novos sabores, desenvolvemos autonomia, escolhemos o que gostamos de comer e passamos a recusar muitos alimentos que seriam bons para o nosso equilíbrio alimentar. Vamos construindo uma relação ruim com a comida e isso quando somado aos aspectos emocionais ganha um poder muito grande, a usamos em momentos de tristeza, raiva, cansaço, estresse, solidão, alegria, como descarrego de todas as tensões e frustrações acumuladas durante o dia, semanas, etc.

Vamos compreendendo o quanto se torna complexo emagrecer e como precisaremos abarcar uma série de comportamentos e orientações para conseguirmos chegar a um peso mais saudável. Para as pessoas que estão acostumadas com desafios essa pode ser a tarefa mais difícil de todas, pois poderá esbarrar em várias limitações como, por exemplo, a necessidade de controlar.

Ao mesmo tempo que o controle pode ser aparentemente um dos mecanismos que irá auxiliar na perda de peso, ele pode ser o maior empecilho, isto porque não se trata de controlar o que se come, e sim estabelecer uma relação de harmonia com a mesma. A comida tem uma função bem específica a princípio que é dar combustível para manter a nossa vida, assim como colocamos gasolina no carro para ele andar, sendo importante entender que ela pode ser prazerosa, mas ela deve cumprir a sua missão de nutrição.

Todo o resto deve ser resolvido de forma assertiva, então se estivermos tristes deveremos ficar com a tristeza, compreender que devemos acolher e buscar resolver da forma mais adequada, pois a comida não tem como função básica servir como analgésico. Você pode até dar a ela essa finalidade, mas enquanto isso seu corpo irá acumular gorduras, perderá a saúde e iniciará um círculo vicioso de autossabotagem.

Então o caminho é parar de querer controlar a comida e o peso, e sim aprender devagarinho a se nutrir com respeito e amor, sem atitudes radicais. Já nos violentamos o bastante durante a nossa vida tentando nos adequar a padrões e comportamentos que a cultura propaga, além de sermos excelentes parceiros, temos que ser bons pais, funcionários exemplares, termos um corpo sarado, magro, etc.

Foram anos comendo de forma desregrada e não dá para mudarmos isso pulando todo o processo de aprendizagem necessária para chegarmos a esse fim. Então relaxa o seu eu controlador e se permita ir aos poucos, dentro do seu possível buscando caminhos que realmente respeitam os seus limites, que lhe ensine a viver de forma mais harmoniosa consigo mesmo. Emagrecer requer uma tomada de decisão, e o elemento de mudança principal é você, acredite.