O Natal está chegando, na sequência um novo ano se apresenta. São datas festivas recheadas de alegrias ou podem ser momentos de muita angústia, de saudades ou mesmo tristeza para aqueles que não têm com quem comemorar ou por que comemorar.

São comemorações que nos levam a uma reflexão de vida, ora nos levando a perdoar, a reconciliar com familiares e amigos que estavam distantes, ora nos instigando a rever o ano, as ações, mudanças realizadas.

Empolgamo-nos, sentimos uma dose extra de energia principalmente na festa da virada pois representa um novo começo, portanto, a chance de fazer diferente. Prometemos entrar na academia, guardar dinheiro para trocar o carro, fazer a viagem dos sonhos. Mas, vão se passando os dias e a empolgação do início do ano se desfaz e tudo volta a ser como no ano anterior.

A aproximação dessas datas me leva a querer mudar sim, mas meu foco é no que realmente posso fazer por mim e pelo outro para que cause um impacto maior e que eu faça diferença no mundo. Vamos por partes, pois muitas vezes pode parecer simples, mas garanto que você precisará ir mais a fundo.

Primeiro que quando eu coloco a proposta de fazer por mim, quero dizer que eu mudo para melhor, eu consigo ser exemplo e também impactar os que estiverem ao meu entorno. Se eu recolho lixo do chão, eu respeito o trânsito, sou generosa, elogio e cuido de minhas emoções, crio a minha volta um mundo melhor, contagiando as pessoas que comigo tiverem contato. Então a pergunta é: qual a minha responsabilidade em criar um mundo melhor em 2020?

Se cada um de nós se comprometer a cuidar dos sentimentos, a buscar ajuda para que os momentos de raiva, de tristeza e de agressão, automaticamente seremos pessoas mais equilibradas e daremos algo muito melhor para o mundo. O que somos interfere diretamente no outro. Uma palavra mal utilizada pode criar contextos de desequilíbrio, promovendo guerras desnecessárias.

Então o meu alerta é que se não pudermos fazer atos grandiosos para impactarmos o planeta, então que mude a si mesmo e sirva de modelo para quem está ali, pertinho de você. Imagine que se em um bairro da cidade todos cuidarem para não jogarem nada no chão, como ele ficará limpo e bonito, livre de bichos e doenças. A sugestão aqui é somente não jogar lixo na rua, um ato simples que deve ser a obrigação de cada cidadão.

Ao elogiar o caixa do supermercado que muitas vezes ganha mal, está com filho doente em casa, sem dinheiro para pagar uma conta, ao atender pessoas generosas, educadas, que dão um sorriso, um elogio, como será para ela trabalhar? Ficará mais otimista, receberá de nós usuários um carinho, o reconhecimento que às vezes nunca recebeu na vida, então a empatia também precisa ser exercitada por todos nós.

O convite que eu te faço nesse  fim e início de um novo ano, que possamos ser melhores como gente, mais gentis, mais acolhedores, mais sorridentes e generosos. Que possamos respeitar as pessoas que têm opinião diferente das nossas, porque somos seres livres e desta forma podemos ser como queremos ser, sem sermos julgados.

O pedido que faço na virada do ano é que eu possa ser canal do amor para muitas pessoas, seja por aqui através de meus textos, seja no consultório, seja na rua quando parar para ajudar alguém perdido ou mesmo para eu olhar de verdade para aquela pessoa que me atende em uma loja.

Que minhas pequenas contribuições ajudem pouco a pouco a criar um mundo melhor, cada vez que cuido do que falo para o outro, pratico a empatia e o respeito.

Feliz Natal para você e que possa ser um agente de mudança no mundo em que vivemos.