Sabemos que cada um tem um conjunto de ideias a respeito do que se acha correto, buscamos estabelecer relações que nos traga alegrias, que nos proporcione o sentimento de pertencimento e bem-estar. Mas a realidade nos mostra que nem sempre estabelecemos relações com pessoas que compartilham de nossos valores, e aí começam os nossos problemas.

Mas não há como não esbarrar em alguém que em algum momento esteja disparando o seu ódio e tristeza no primeiro alvo que surgir à sua frente. Aposto que você já passou por uma situação assim.

Basta parar um pouco para pensar, talvez um professor na época da adolescência, o pai que não tinha habilidades para conversar com os filhos, um vizinho que tratava mal todos que tentavam se aproximar, um namorado que estava sempre apontando os erros da parceira.

A verdade é que acabamos enfrentando situações bem constrangedoras, algumas mais explícitas e outras mais mascaradas, mas que nos fazem sentir desrespeitados, rebaixando a percepção de quem realmente somos.

A questão é entender que essa atitude hostil é do outro, ele dispara a agressividade que está presa dentro dele mesmo. Insatisfação, raiva, tristeza, sentimento de menos valia, falta de autoestima, de se sentir amado ou amando. E é nesse momento que devemos parar e pensar no porque a fala do outro nos atinge.

Na verdade ninguém gosta de ser o alvo do outro e nem estou dizendo que devemos achar normal e aceitar. Cada um escolhe como agir, mas é importante ficar claro que a agressão só passa a ter valor se der importância à mesma. Pessoas que estão bem consigo mesmas, em harmonia com o seu eu interno não sai dando patadas no outro. Essas pessoas sim vale a pena ouvir, aprender e pode ser que até nos motive a mudar o que não nos agrada em nós mesmos.

Estamos vivendo na universidade da vida, aqui aprendemos a lidar com nossos sentimentos e emoções. Nos serão oferecidos diversas experiências, desde as mais leves as mais difíceis, e é importante que possamos tirar dessa experiência a melhor aprendizagem possível. Então não se deixe magoar por quem não sabe lidar com as próprias emoções e aprenda que se voltar o olhar para si mesmo vai conseguir entender se é preciso mudar realmente.