Neste plano terreno mudar não é uma opção por mais que tentemos manter uma certa imobilidade, a vida vai se encarregar de puxar alguns tapetes para que possamos evoluir. Quando nascemos já experimentamos a mudança de temperatura, ruídos e cheiros, somos tocados e sentimos uma série de sensações até então desconhecidas. Vamos mudando todos os dias, nosso corpo, nossas células, viver é um processo de constantes transformações. Aprendendo muitas coisas, vamos acumulando bagagem e completando a nossa caixinha de ferramentas que nos possibilitará trilhar novos caminhos.

Mudamos de escola, de cidade, de companheiro, de profissão, de corte de cabelo, de opinião, e assim vamos nos adaptando ao novo. É claro que nem sempre as mudanças ocorrem a partir do nosso movimento e sim porque a vida nos coloca frente a um desafio. Perdemos uma pessoa que amamos, o emprego, desenvolvemos uma doença, sofremos um acidente. Porém todas essas situações exigirão uma transformação, algumas mudanças serão internas e outras externas, mas o fato é que esse é o fluxo da vida e ocasionalmente seremos convidados a dançar em ritmos até então desconhecidos.

Apesar de vivenciarmos essas situações de forma tão concreta, isso não impede que a resistência apareça frente ao novo, talvez algumas pessoas tenham maior facilidade em se permitir experimentar novos caminhos reagindo com mais calma, e deixando o fluxo fluir sem muita angústia. Esse seria um estado ideal, olhar e receber o que a vida nos apresenta com cautela, tranquilidade, avaliando as situações e assim poder escolher como se portar no momento. Mas nem sempre é assim que reagimos, concorda?

Na maioria das vezes reclamamos de várias situações das quais nos sentimos insatisfeitos, passamos dias, meses e anos falando sobre as mesmas questões, mas negando qualquer responsabilidade na mudança pretendida. Há uma negação embutida nesse contexto, a de não querer sair da zona de conforto mesmo estando infeliz. Nesses casos a mudança só começa quando a dor está insuportável, ou mesmo quando somos pressionados por uma situação externa.

Os ciclos da vida favorecem diversas transformações, podemos colher frutos saborosos que proporcionarão maior saciedade, satisfação, mas a resistência em explorar novas possibilidades podem nos impedir de usufruirmos dessa colheita. Podemos pensar no medo do novo, na insegurança por não nos sentirmos fortes o suficiente, no apego, no medo de deixar para trás situações que um dia fizeram parte dos nossos sonhos. E a grande questão é o que fazer quando a vida nos convidar a dançar um ritmo da qual nunca experimentamos?

Na verdade, todos nós seremos convidados a atravessar momentos turbulentos e infelizmente pouco poderemos fazer nessas situações, a não ser silenciar e buscar um caminho para seguir.

Abaixo algumas opções simples de comportamentos que podemos utilizar nesses momentos:

– A respiração sempre será a nossa maior aliada, através de um estado ampliado de consciência conseguimos nos manter mais centrados em momentos desafiadores da vida, então comece a praticar agora, leve a sua atenção à respiração per pelo menos uns 15 minutos por dia;

– Quando sentir que é o momento de mudar algo em sua vida e ao mesmo tempo algo o impede, é importante buscar auxílio de um psicólogo clínico. Muitas vezes precisamos de uma escuta limpa e não contaminada, como esse profissional não faz parte da sua vida, ele poderá te auxiliar para que aja com cautela mesmo diante de situações de muito estresse, medo e tristeza;

– Lembre-se que a vida segue em frente e o ontem já ficou no passado, então agora é parar de insistir em erros ou situações que não agregam em sua trajetória de vida. Ignore os pensamentos sabotadores que minam a sua coragem em seguir adiante e mantenha o foco no que é preciso fazer no momento presente;

– Faça uma retrospectiva da sua vida, dos momentos que não deram certo, assim colocando no papel conseguirá enxergar de forma mais concreta as suas ações, o que possibilita traçar novas estratégias;

– Busque estar perto de quem você admira para que sirva como inspiração para você movimentar o seu projeto, ou qualquer outra mudança que seja necessária no momento. Você pode modelar uma pessoa próxima a você, uma figura de autoridade, ou até se firmar em sua crença religiosa.

É importante promover recursos para seguir em frente, para resgatar dentro de si mesmo coragem e força, afinal nada acontece sem um propósito, se a vida nos ofereceu um desafio é porque temos condições de dar conta. Agora é confiar e dar o primeiro passo.