A vida realmente é uma escola e os relacionamentos são uns dos maiores desafios que enfrentamos. Desde que nascemos estamos em constante contato com outras pessoas e assim será por toda a vida. Esse processo, que a princípio parece tão simples, na verdade é extremamente complexo visto que cada pessoa tem uma forma de enxergar a vida.

O fato é que vamos aprendendo que as diferenças acabam trazendo muitas aprendizagens e estas se iniciam dentro da família, e logo se expandem ao ambiente escolar, as amizades, entre outros. Cada pessoa que entra em nossa vida trará junto com ela uma imensa bagagem de experiências e estas determinarão a forma que a mesma se relaciona socialmente.

É muito interessante, pois esse processo é natural para nós, mas ao mesmo tempo ainda temos dificuldades em separar o que é nosso do que é do outro, e ao menor comportamento indesejado, tomamos como ofensa e ficamos magoados. E é nesse momento que percebemos o quanto ainda precisamos entender que cada um mostra o seu lado interno e que este não nos pertence.

O fato é que não paramos para pensar, já saímos na defensiva e nos colocamos no papel da vítima, daquele que foi agredido e ofendido, sem ao menos avaliarmos o porquê essa atitude nos machucou. Então agora é o momento ideal para relembrar algum fato que lhe provocou esse incômodo e tentar olhar com mais critério o que de fato te pegou.

Então pense comigo, se você está se sentindo ofendido por algo que te disseram, será que não é porque de alguma forma se identificou com a situação? Então indo um pouco mais a fundo, se nos sentimos inseguros e alguém diz algo que faz eco dentro de nós, é porque ainda temos alguns aspectos que remetem a uma insegurança a respeito de quem somos.

Há uns meses uma amiga ficou incomodada com uma frase que falei e ela me disse que estava cansada de todo mundo dizer  que ela estava errada. A questão era pelo fato dela optar por não usar máscara e achar que mesmo assim não havia a possibilidade de ser assintomática. Na verdade ela mesma disse que não era comigo, mas era uma sensação constante de que a estavam julgando porque na verdade estava deixando de seguir uma norma de controle do vírus.

Lembrando que não estou aqui para falar sobre a doença e nem o que está certo ou errado, mas somente exemplificando uma situação que mostra claramente que o incômodo era dela e acabou projetando em mim. Entenderam o quanto é delicado o julgamento que fazemos e quanto é difícil identificar o porquê nos magoamos?

Trago nesse texto a ideia de dar um passo atrás sempre que algo incomodar, e como se estivéssemos nos bastidores observando de fora, olhar para a situação e identificar que parte de si mesmo se doeu o porquê. Se praticarmos esse exercício e o aliarmos à prática da meditação, conseguiremos evitar muitos conflitos, rompimentos e sofrimentos.

Então vamos ampliar esse olhar, separar o que cabe a cada um e acolher o que é diferente em vez de nos sentirmos agredidos e assim, vamos desenvolvendo mais clareza acerca das experiências da vida.