COMO-ENSINAR-SEU-FILHO-A-DIZER-NAO-AS-DROGAS
Enfim, chegou a adolescência, época em que os pais devem estar atentos aos limites que são importantes para manter os filhos em segurança. Eles são necessários para que nossos filhos aprendam o certo e o errado, a lidar com frustrações e para protegê-los de várias situações às quais poderão estar expostos durante a vida.
Um aspecto importante a ser lembrado é não confundir limites com excessos de nãos. Primeiro, devemos sempre avaliar a situação e verificar a necessidade de dar ou não tal limite. Assim como o contrário também é verdadeiro, 0 sim em excesso também é prejudicial. Criamos filhos que não toleram frustração, e, com atitudes de total domínio sobre nós, seus pais. Com isso, eles tem tendência a não aprender não aprender a conviver de forma harmoniosa com o outro.
Vivemos em sociedade e sabemos a importância fundamental das regras que devemos seguir para se manter a  harmonia. Porém, percebemos que hoje é muito frequente burlar tais regras. Os motivos são diversos que podemos tratar em outro post.
– A grande questão é como estamos criando nossos filhos?
– Qual o caminho escolhido e porque temos tantas crianças e adolescentes hoje desrespeitando pais e outras autoridades?
– Você tem pena de seu filho e por isso não impõe limites?
– Compensa sua ausência com presentes e carinhos que aliviam sua culpa?
– Tem dificuldades em sentar no chão para brincar com o filho ou tirar um tempo para conversar com o adolescente da casa?
– Verifica o que ele está fazendo e com quem conversa?
– Ou sente que está deixando o seu filho ser criado pela vida?
Muitos responderão que estão atentos e me pergunto se estão realmente se importando com o que eles pensam…
E aconselho: reserve um tempo para ouvi-los de verdade, esteja aberto para saber como pensam, para conhecer as histórias da escola, ria das piadas, ou apenas fique ali olhando para seu filho, fazendo um carinho..
Dizer o quanto amam, dar presentes caros, viajar para fora do país… Tudo isso é bom, mas não significa que vocês representam uma família perfeita.
Às vezes, se falta o “olho no olho”, a cumplicidade, sua família está longe de ser perfeita. Admita, você tem uma família vazia. Criar filhos para a vida, ensinar o correto, estar presente para orientar da melhor forma possível, ensinar valores, exige muito comprometimento e mostra que nós pais podemos e devemos dar limites na hora certa, dizer não mesmo que doa, mesmo que isso entristeça o filho. 
Devemos lembrar sempre que amar é cuidar… Em algumas situações (e elas não são poucas) eles não podem se defender. O bom senso deve prevalecer. Essa é a regra. É necessário prestarmos atenção às situações em que devemos “soltar”, “puxar” e entender quando estão prontos para viver de forma mais livre, confiando no que você ensinou e orientou durante todo o desenvolvimento deles.
Ser pai, ser mãe requer paciência, sabedoria, aprendizado para que se possa repensar e até ter a chance de pedir perdão. Uma tarefa nem sempre fácil, mas possível quando estamos dispostos a exercer nosso papel com responsabilidade. Dizer ” eu te amo” é fácil. Viver este verdadeiro amor sim é o maior desafio.