Quando nos apaixonamos e decidimos nos unir a uma pessoa, raramente paramos para pensar que em algum momento esse sentimento pode acabar. Queremos viver intensamente cada momento, planejamos o futuro e muitas vezes formamos uma família com a chegada dos filhos.

Alguns casais viverão ao lado do parceiro escolhido estando ou não felizes, enquanto outros acabam optando pela separação. A verdade é que não temos como saber se o amor resistirá aos embates da vida, pois os desafios sempre irão aparecer e só passando pelas experiências é que saberemos se dará certo ou não essa união.

A questão é que muitos irão optar por romper o compromisso de estarem juntos e será preciso muita delicadeza por parte dos pais para que os filhos possam passar por todas as mudanças que são inerentes à separação da melhor maneira possível. Será que isso é possível? É claro que sim.

Mas nem sempre os pais cuidam dessa transição de forma adequada, alguns nem se importam se os filhos irão sofrer, estão tão frustrados ou magoados que querem mesmo é colocar a culpa no outro e se livrar do peso e da tristeza que estão sentindo. Não conseguem preservar os filhos nesse momento tão delicado e acabam expondo os mesmos às brigas recheadas de acusações e muitas vezes, com agressões pesadas, sendo importante pensar em como tornar esse momento difícil mais leve, sem envolvê-los na relação desgastada do casal.

Abaixo seguem algumas orientações que podem lhe ajudar:

– Primeiro é entender que ao se separar é importante preservar os filhos dos conflitos que os levaram a essa tomada de decisão, afinal esse é um assunto que deve ser discutido entre o casal;

– Não falar mal de um para o outro é fundamental, lembre-se que os filhos continuam precisando de um pai e de uma mãe. Os dois são importantes na formação e educação dos filhos e quanto mais preservamos o ex-parceiro, melhor a relação dos filhos com os mesmos;

– Podemos dizer o quanto o pai e a mãe foram felizes, que no momento se amam de outra forma, não mais como homem e mulher, mas como amigos, que continuarão amar e cuidar deles;

– Na separação não deixamos de ter obrigações com os filhos, sendo importante que os dois compartilhem do dia a dia dos mesmos, dividindo tarefas e convivendo com frequência;

– É fundamental que os pais continuem conversando e tomando decisões em conjunto, desta forma preservam a relação, e conseguem ter atitudes mais assertivas em relação aos filhos, pois o objetivo deve ser o bem-estar dos mesmos.

Sabemos que nem sempre é fácil seguir as orientações acima, tudo depende de como os parceiros reagem a essa dissolução, mas é importante que tenham autorresponsabilidade, afinal filhos são presentes que a vida nos dá, optamos por sermos pais e desta forma seguir ao lado deles é nossa função.