images (38)

Nem sempre a paixão significa algo ruim, isto porque normalmente ela tem a capacidade de nos deixar aéreos, nos leva a um mundo imaginário onde não há limites para sonhar, levando muitas vezes a comportamentos de extrema loucura.

A partir de certa idade conseguimos lidar melhor quando ela se apresenta, podemos decidir se queremos vivê-la ou se não queremos correr o risco de deixar desabrochar alguma dor, até porque quando conscientes do que essa proposta engloba, sabemos se temos condições de lidar com ela.

Vou falar aqui da paixão saudável, pois acredito que há uma possibilidade de vivê-la de uma outra forma, como um caminho para o amor maduro.

Nossa vida cotidiana é repleta de momentos de tensão, tristezas, responsabilidades, questões financeiras, e quando o setor do amor também não vai bem parece que tudo fica mais pesado, perdemos a alegria que impulsiona, que traz um colorido especial.

Viver sozinho também tem suas delícias, o estar descompromissado, não precisar se dedicar, não compartilhar, porém nem sempre esse estado de graça dura para sempre, sentimos falta de alguém ao nosso lado, nem que seja para dar risadas, dividir um bom vinho ou mesmo não sentir-se sozinho.

Mas o viver a dois sempre ganha um espaço especial em nossa vida, a grande maioria das pessoas busca  um parceiro, senão para um casamento formal, pelo menos para viver pequenas aventuras que embelezam os dias.

Não importa o formato escolhido, beijar na boca, se aconchegar dentro de um abraço, fazer amor, tudo faz parte de nossa essência como pessoa, por isso que a paixão passa a entrar em nossas vidas e nos levar a sonhar novamente.

Não há nada mais gostoso do que deitar e pensar em alguém, imaginar o próximo encontro, pois a vida sem paixão fica vazia, o sentido se perde no meio de tanto caos que vivemos. Deixar-se levar,  permitir-se se perder, mesmo que sejam por algumas horas.

Permita-se viver novamente, abra espaço para alguém, sem medo de perder o controle, de gozar, de sentir-se amada, desejada. Sempre digo aos meus pacientes que é melhor escrever no diário da vida do que deixar as páginas em branco.

Se der certo ótimo, se não der, você viveu, sentiu, se entregou-se, e só por essas razões já vale a pena experimentar. Sem lágrimas e arrependimentos, somente pelo prazer de tentar ser feliz, de usufruir de momentos únicos que proporcionam alegria a nossa vida.