Estamos vivendo um momento muito pesado em que muita sujeira e a maldade têm vindo à tona. Os noticiários estão repletos de notícias que têm uma vibração negativa e ao ler somos contaminados por diversas sensações como o medo, a tristeza, a dor, a raiva e o ódio. Nesse momento todo o nosso sistema corporal se altera, somos afetados de forma negativa o que pode gerar até desordens orgânicas. Não é fácil lidar com tanta instabilidade, o clima de insegurança se instala dentro de cada um de nós.

Nesse ciclo de vulnerabilidade e medo vamos nos fechando para o amor e deixando o ódio tomar conta. Mostramos nas redes sociais a nossa indignação, queremos justiça, ordem, mas às vezes não nos damos conta de que os nossos comentários e postagens também são agressivas e intolerantes. Passamos a assumir uma postura que ao invés de promover a paz só traz mais discórdia e mal-estar.

Corremos para comentar a respeito de alguém que cometeu um erro e esquecemos que também cometemos erros, porém preferimos ignorar esse fato e esconder de nós mesmos quem somos. Todos nós somos seres falíveis, temos um lado sombra e um lado luz, e é preciso olhar para essa dualidade para podermos integrar dentro de nós quem realmente somos. A partir daí, nosso comportamento fica mais fluído e passamos a focar mais na evolução pessoal, a medir as palavras e comportamentos.

Não me refiro a nos autorrepreender, mas a olharmos com carinho para nossas próprias limitações para assim podermos acolher a verdade do outro. Aqui é importante esclarecer que o foco desta matéria é na nossa própria agressividade que saímos disparando por onde passamos. Assim como temos o sol temos a lua, temos o frio e o calor, o doce e o amargo. Quando entendermos que somos responsáveis por tudo que ocorre no externo, aí sim poderemos esperar um mundo melhor.

É preciso permitir que o amor flua através de você, que transpire em seus gestos, no seu olhar, nas suas palavras e comportamentos. É poder agir a partir do coração mesmo que isso signifique ficar mais vulnerável à dor, afinal nesse espaço que vivemos tem essas dualidades que fazem parte da vida.

Mas se a cada paulada que você receber te fizer endurecer e fechar o seu coração, não nos restará mais nada do que já estamos presenciando lá fora e muitas vezes até dentro de casa. Se cada um de nós se recolher na própria dor e não puder expandir no amor, a guerra só aumentará.

Não é fácil essa mudança pois exige uma força interna muito grande, mas ao mesmo tempos ela proporcionará uma vida real, em que viveremos com intensidade e com mais integridade. Sei que dentro de cada um de nós tem um ser maravilhoso que pode fazer a diferença e se cada um de nós se propuser a mudar a si mesmo certamente iremos construindo uma egrégora mais positiva ao nosso redor e assim sucessivamente.

A minha proposta é cuidar do que pensa, fala e faz. Respire antes de tomar decisões, de falar algo que machucará alguém. Você pode mudar vidas, pode influenciar positivamente quem cruzar o seu caminho com palavras de carinho e respeito. Aprenda a ser melhor ao invés de olhar para fora, para o outro, seja você a mudança. Cada um se responsabilizando por si mesmo já afetará positivamente o mundo ao seu redor.