Quando não somos respeitados em nosso próprio espaço levamos para a vida a  sensação de que as pessoas estão sempre nos invadindo. Uma simples pergunta pode se transformar em uma angústia, pois vivemos achando que devemos uma explicação para alguém. Sentimo-nos acuados, às vezes até sem fôlego, pois muitas vezes é difícil separar a razão, do emocional.

Essas invasões rotineiras não permitem que possamos respirar, estamos sempre em estado de tensão. Isso a médio e longo prazo deixa severas marcas no emocional, podendo levar à insônia, ansiedade crônica, dores musculares, depressão, entre outras alterações de saúde.

Passamos a vida em busca de soluções, um remédio, uma técnica que alivie essas dores, mas parece que quanto mais abrimos a caixinha, mais dor aparece para ser resolvida. As consequências que vão além do emocional se tornam concretas quando uma das reações é se esquivar do mundo.

Viver com o outro é um exercício diário, é cansativo estar o tempo todo na defensiva, tentado se proteger de um possível ataque que pode vir a qualquer momento. O mundo se torna hostil, as pessoas são perigosas, a angústia toma conta,  impossibilitando relaxar.

Acabamos nos isolando, criamos nosso próprio mundinho e só saímos para cumprir os compromissos necessários. Cercamo-nos de tudo que nos proporciona conforto e ali ficamos, tentando buscar alívio para as angústias e tristezas.

É muito saudável que se aprenda a se cuidar de si mesmo e se proteger, mas faz parte do processo de cura enfrentar, olhar para essas dores, para essas situações que vem minando a alegria de sua vida. Confesso que não é um processo fácil, mexer nas feridas irá causar muita dor, pode ser até que infeccione, mas é essencial para buscar a tranquilidade interna. Mas se deixar lá, escondido, a dor irá te devorar aos poucos, até que não sobre nada que te faça ser feliz ou te dê prazer.

Olhar para o que está disfuncional, para o que não está fluindo faz parte do crescimento. Se esquivar pode até gerar a sensação de que está tudo bem, mas é ilusório, a infecção continua ali, a qualquer momento irá doer novamente.

Entender que as experiências que passamos, por mais difíceis que tenham sido, nos ajuda a crescer emocionalmente, tudo depende do foco que você dá. Se ficar preso às lamúrias ficará andando em círculos, mas se houver o entendimento, será mais fácil ressignificar a dor a que foi exposto.

Se permita a abrir a caixinha, faça isso com carinho, no seu tempo. Busque alguém de confiança que possa te ajudar nessa empreitada e se deixe curar. Quando nos permitimos ser feliz, a porta vai se abrindo e aos poucos vamos aprendendo que relaxar é possível e faz muito bem.