A comida sempre é o chamariz de qualquer festividade, basta uma pequena reunião entre pessoas e já nos organizamos para saborear algo que gostamos. Se pararmos para lembrar nossa história, com certeza para muitos de nós virá à lembrança diversos momentos que envolvem comida, família, festa e amor. Para algumas culturas, por exemplo, alimentar a família e amigos promove uma imensa satisfação, uma forma clara de demonstração de amor.

Desenvolvemos o paladar à medida que vamos nos permitindo a experimentar algo novo, a indústria de alimentos não para de crescer, oferecendo diversas comidas com diferentes sabores, texturas e aparências, tudo minuciosamente desenvolvido com o intuito de agradar o maior número de pessoas.

Sabemos, no entanto, que não devemos comer em excesso e nem devemos comer com frequência certos alimentos, precisamos ter cuidado com a forma com que são preparados. Muitas vezes a aparência é linda e apetitosa, mas não contém nenhum valor nutricional, além de piorar a saúde física e emocional.

Nosso corpo é um sistema muito inteligente e ao mesmo tempo frágil, pois ele reflete o que fazemos, ingerimos e pensamos. Sabemos que é importante cuidar dele, mas nem sempre fazemos o que é melhor para que esse complexo sistema funcione em harmonia.

Não conseguimos agir com assertividade em várias situações de nossa vida e acabamos usando da comida para compensar. Estamos com raiva e em invés de resolver a situação como seria preciso, vamos até a panificadora mais próxima e comemos tudo o que der vontade na hora. O que a raiva tem a ver com a comida?

Nada! Só que como não sabemos lidar com alguns sentimentos, situações que nos atingem, comemos para tentar amenizar o incômodo que estamos sentindo. Esse exemplo vale para a tristeza, solidão, angústia, medo, ansiedade, até por alegria.

No entanto em algum momento da vida você poderá sentir-se doente, acima do peso, com dores pelo corpo e seu médico irá lhe recomendar entre tantas possibilidades, que você cuide da alimentação. Não há escapatória, alimentação saudável faz parte do protocolo para se ter boa saúde.

Talvez agora possa se dar conta de como tem se tratado, pois não é somente sobre a saúde física que eu estou falando, mas também sobre o amor por si mesmo. O que escolhemos colocar dentro da boca, do corpo, também reflete a forma com que se trata.

Muitas vezes esquecemos de que devemos cuidar melhor dessa máquina divina que é nosso corpo, seguimos acordando, pulamos o café da manhã, comemos exageradamente no almoço, já emendamos com uma sobremesa repleta de açúcar e assim vamos cometendo excessos até a hora de ir para a cama.

É importante ficar claro que nada é proibido, que é necessário somente que cuide dos excessos cometidos, que possa escolher alimentos saudáveis sempre que possível. O bom funcionamento de nosso corpo depende da fonte de nutrição que oferecemos.

Quando esses cuidados são negligenciados, deixamos de ter saúde, começam a surgir doenças, o nosso emocional fica abalado e ficamos doentes no todo.

O amor é o caminho do autocuidado, do querer estar bem, do se dar o que merece. Vamos olhar com mais carinho para os nossos comportamentos alimentares e emocionais, pois somente dessa forma poderemos viver de forma mais leve e feliz.