idoso

Tenho lido muitos posts sobre pais que são injustamente abandonados na velhice e sempre me incomodo com a forma que essas matérias de alguma forma incutem mais culpa e mais tristeza em muitos dos filhos envolvidos.

Aprendemos a julgar segundo critérios morais que nos são passados através da religião, a empatia apesar de ser amplamente discutida, ainda hoje percebemos o quanto é difícil se colocar na pele do outro, partimos para o julgamento segundo nossas próprias experiências e somente quem já passou por uma família tóxica sabe ao que estou me referindo.

Tenho certeza de que se parar para pensar se lembrará de pelo menos um conhecido que em algum momento lamentou-se para você sobre a família, mas garanto que no consultório não são poucas as histórias tristes onde os pais foram os responsáveis pela dor crônica que os filhos carregam.

Abusos físicos e emocionais que determinam o futuro de crianças que se tornam adultos marcados pela dor e a tristeza. Muitos não param para avaliar esses fatos, ou porque não passaram por uma situação semelhante, com isso não conseguem se colocar no lugar do outro, ou porque dão outro jeito para seguirem em frente, caso tenham passado por algo semelhante.

Mas essas pessoas que cresceram em ambientes tóxicos apresentam sérias dificuldades em se relacionar com seus pais, não conseguem esquecer a dor a que foram expostos e muitas vezes ainda na fase da velhice enfrentam comentários que os desqualificam e danificam ainda mais a sua autoestima. Um ciclo de dor que não termina, pois esses filhos intoxicados por essas vivências não conseguem ser felizes, sentir prazer em situações que para muitos são momentos de alegria.

Claro que esses pais também são vítimas de alguma forma, também tiveram suas histórias, mas acredito que todos nós temos o livre-arbítrio e escolhemos agir de uma forma ou de outra.

Mas a reflexão que proponho nesse texto é para que não se faça com que filhos se sintam ainda mais culpados do que já se sentem, pois essa é uma habilidade de pais tóxicos, um peso que se carrega por toda vida. Acreditem, não é fácil dar afeto para aqueles que passaram a vida toda desprezando seu bem maior, os filhos.