Loja da Prada no centro de Londres, em dezembro de 2018 Foto: Henry Nicholls/ Reuters

Loja da Prada no centro de Londres, em dezembro de 2018 Foto: Henry Nicholls/ Reuters

A grife Prada anunciou nesta quarta-feira, 22, que não vai mais usar peles de animais em seus produtos a partir das coleções primavera/verão 2020. No entanto, os produtos já confeccionados com pelo serão vendidos até o término do estoque.

“O foco em materiais inovadores permitirá à empresa explorar novos limites do design criativo, atendendo à demanda por produtos éticos”, disse Miuccia Prada.

A deisgner italiana Miuccia Prada recebe aplausos no fim do desfile da coleção de primavera 2019 da Prada, na semana de moda de Milão, em setembro de 2018 Foto: Stefano Rellandini/Reuters

A deisgner italiana Miuccia Prada recebe aplausos no fim do desfile da coleção de primavera 2019 da Prada, na semana de moda de Milão, em setembro de 2018 Foto: Stefano Rellandini/Reuters

Segundo a estilista, a nova conduta da marca ocorre após um “diálogo positivo” com a Fur Free Alliance(FFA), coalizão de mais de 50 organizações de proteção animal de mais de 40 países, especialmente com a associação de proteção dos animais LAV e a Humane Society dos Estados Unidos.

Desfile da Prada durante a semana de moda de Milão, em fevereiro Foto: Alessandro Garofalo/Reuters

Desfile da Prada durante a semana de moda de Milão, em fevereiro Foto: Alessandro Garofalo/Reuters

De acordo com Brigit Oele, gerente de programas da Fur Free Alliance (FFA), a negociação com o grupo Prada começou há pouco mais de um ano. O Programa de Varejista sem Pele da FFA reúne mil empresas.

“A decisão do Grupo Prada de não utilizar mais pelo é consistente com o novo conceito de luxo ético e atende às expectativas de novos consumidores que são mais cuidadosos na escolha de produtos sustentáveis que respeitem o meio ambiente e os animais”, disse Simone Pavesi, gerente da área de moda da LAV.

Joh Vinding, presidente da Fur Free Alliance, acredita o número crescente de empresas livres de pele é uma respostas às mudanças de atitude dos consumidores em relação aos animais.

Leia mais:

Empresas cosméticas tentam impedir proibição de testes em animais no Rio de Janeiro

 

Acompanhe o blog Lindeza nas redes sociais:

Facebook

Instagram