Foto: Reprodução/Instagram @fluvialacerda

Flúvia Lacerda foi criada em Roraima e hoje mora em Nova York

Sempre que as pessoas comuns ou até mesmo a mídia vai falar sobre uma mulher gorda surge aquela situação delicada e mil outras palavras são usadas: gordinha, volumosa, curvilínea, maior, plus size, grande e por aí vai. Dependendo da situação, usar esses termos é apropriado, mas o que não faz sentido é evitar a palavra gorda a qualquer custo como se fosse um palavrão, reforçando a ideia de que é proibido, errado e feio ter esse tipo de corpo. Em entrevista para o Moda Estadão sobre dicas para escolher o biquíni, Flúvia Lacerda, a primeira modelo plus size a ser capa da Playboy Brasil, contou que não se incomoda nem um pouco em ser chamada de gorda.

“Ser chamada de gorda não é o fim do mundo, eu não vejo nada de ofensivo nessa palavra. Existe uma lavagem cerebral para transformar a palavra gorda em palavrão”, afirma Flúvia.

Sobre o termo plus size ela diz que “é apenas uma descrição de um nicho. Assim como existem seções para baixinhas ou mulheres muito altas na Forever 21 no exterior”. 

A modelo, que é uma das principais do mundo no setor plus size, também já havia falado sobre o assunto no Instagram. Assista:

Parte 2 😉😘

A video posted by ✨Fluvia Lacerda✨ (@fluvialacerda) on

Parte 1😉

A video posted by ✨Fluvia Lacerda✨ (@fluvialacerda) on

 

Flúvia Lacerda dá dicas para escolher o biquíni: