Vem cá. Senta do meu lado, porque a gente precisa falar seriamente.

Esse negócio de ter filhos tá ficando complicado demais. Tá puxado ser criança. Puxado demais! Me explica de onde você tirou que coaching para criança poderia ser bom? Quem foi o educador que te convenceu disso? Precisa ver direito aí quem é essa pessoa, porque tá tudo errado demais. Desde quando infância precisa de coaching? Você já se fez essa pergunta? Se não fez, faça. Faça e elabore 5 (não vou ser malvada e te pedir 10) razões do ‘porque sim’.

Quando fiquei sabendo que existia coaching de brincar fiquei chocada. Como assim alguém contrata uma pessoa pra ensinar (veja bem: ensinar) uma criança a brincar? Eu achei que criança nascia sabendo brincar. Afinal, elas têm imaginação, inventam coisas, têm amigo imaginário, brincam de casinha, aprontam, se escondem pela casa, riem das coisas mais simples desta vida… Será que eu me enganei? De verdade, senta aqui e me explica, porque eu realmente nunca achei que pais e mães precisassem contratar alguém pra brincar com os filhos. Oi?! Precisa ver direito isso aí, porque está me parecendo estranho.

Depois uma amiga falou de uma pessoa que está fazendo um trabalho de personal whatever com meninos na pré-adolescência. O trabalho dele é pegar meninos que vivem em condomínios (leia-se a simbologia disso) e os leva para aprender a andar na rua, pegar um busão, ir na padoca e comer um lanche sozinho. Ele ensina meninos a tirar o nariz pra fora de casa e viver a vida com menos medo e mais prontidão. Parece até interessante, porque ele bate papo também com os garotos. Putz! Mas pera lá, personal whatever??? Pra ensinar o quê, mesmo? A conquistar autonomia na rua e na sociedade? Não deveriam ser os pais a ensinar isso? Alias, tá na hora de você tirar o corpinho do sofá e ir lá ensinar. Essa desculpa de que está sempre ocupado trabalhando não cola, não. Isso é desculpa. Vai pegar um ônibus junto com seu filho. O papel é teu, amigo.

Como assim delegar coisas tão importantes nesta vida e na formação de um ser humano? Meu Deus, não tenha filho, então. Se você não tem capacidade pra educar, não ponha criança neste mundo pra ser terceirizada e ser privada de uma infância feliz e saudável. Porque isso é uma sacanagem. E das grandes! Agora, contratar coaching pra criança de 3 a 8 anos pra desenvolver liderança e espírito competitivo é o fim do fim!!! Te pergunto: aonde vocês querem chegar? Porque deve ter expectativa aí. Expectativa de resultados, ainda por cima. Oi?!

Quer treinar teu filho pra vida? Põe ele pra fazer esporte. Ali ele vai aprender a ter garra, a ter espírito de competitividade e terá também sucesso com as vitórias. Mas vai aprender a perder, também. Vai aprender a dividir a bola, a contar com o outro pra finalizar a jogada. Vai aprender que o grupo faz o time e que sozinho nem no banco de reservas tem lugar. Vai aprender sobre autonomia, não porque ele manda em vocês, mas porque vai precisar resolver conflitos com os colegas do time. Vai aprender sobre respeito, porque um dia ele será o adversário, e tirar sarro ou xingar só te tira do jogo. Ataques não têm lugar na quadra.

Então, queridos pais, se vocês realmente estão preocupados com seus filhos e têm um pingo de consciência do que é uma criança e da importância que a infância tem na vida delas, deixem seu filho em paz! Deixem essa criança brincar sossegada. Porque tudo tem hora certa nesta vida e, definitivamente, coaching não faz parte da infância. Com todo o respeito, vá fazer você um coaching pra aprender a ser pai e mãe, porque tá faltando aí muito amor e boa vontade.