E no meio de tantos nãos, precisamos aprender a dizer sim. Sim! Porque aprendemos a dizer não, mas e quando o sim é essencial? As matérias, as dicas e os especialistas dizem “Não faça isso, não faça dessa forma, não fale assim com a criança, não seja fraco”. E falam “Crianças não podem isso, não podem aquilo”. E não se pode um monte de coisas, que sabemos e tentamos, cruelmente, cumpri-las sem nos afogar em culpas e brigas. Mas e quando a gente deve dizer sim? Sim! Porque ele existe na educação de pais e filhos e é tão importante quanto o não. O sim educa também.

 

Sim para quando seu filho está na casa dos avós e as regras são quebradas. Porque cada um tem um jeito de educar, e quando delegamos nossos filhos aos outros precisamos aceitar e acolher as diferenças.

 

Sim para o marido que ficou sozinho com a criança e fez tudo fora da rotina e o almoço foi lanche em vez da comida que estava na geladeira prontinha. Porque pai não é mãe, e o bom é justamente isso.

 

Sim para o doce e o refrigerante que ele comeu na casa do amigo e nem era festa. Porque o que não é rotina é farra.

 

Sim para quando ele te conta o que fez de errado e pede pra você não brigar. E não é pra brigar! Mil vezes uma relação de confiança do que de medo.

 

Sim para quando ele está muito bravo com a bronca que você deu e diz que você é chata ou que não gosta de você. Crianças precisam expressar o que sentem, e isso quando acolhido faz um bem danado ao coração.

 

Sim para o dia em que dormiu no amigo e não escovou os dentes de propósito. Porque escovar os dentes é um saco mesmo, e poder exercer a sua, ainda que pequenina, liberdade é importante.

 

Sim para o que ele não quer te contar e você insiste em saber porque é a mãe. Porque apesar de terem saído da sua barriga não são sua propriedade, e intimidade a gente precisa preservar e cultivar. Segredos são saudáveis.

 

Sim para quando ele briga com o amigo e pede pra você não se intrometer. Porque crianças precisam resolver problemas sozinhas entre elas. E são capazes.

 

Sim para quando você chega na escola e ele tem vergonha de te cumprimentar. Porque essa idade chega pra todo mundo, e, querendo ou não, o espaço da escola é uma conquista da criança, e não do adulto.

 

Sim para aquele amigo que é a representação máxima de tudo que você não quer pro seu filho, mas eles se adoram e brincam um monte juntos. Porque aprender com as diferenças é uma das melhores escolas dessa vida.

 

Sim para todos os nãos que você vai escutar quando falar pra ele fazer isso ou aquilo. Porque dizer não é um exercício de identidade.

 

Sim para quando seu filho quer ajudar a lavar a louça ou pôr a mesa. Porque, além de incluí-lo nas tarefas da casa, ensina que todos podem e devem ajudar.

 

Sim para quando, já um pouco maior, seu filho pedir pra cortar as unhas sozinho. Porque mostra que você tem confiança nele e que ele já é capaz.

 

Sim para quando, ainda um pouco maior, ele quiser ir até a padaria ou a banca sozinho. Porque chega um momento na vida que eles precisam aprender a ir e vir pelas próprias pernas.

 

Porque o sim educa. No sim tem amor. No sim tem carinho. Tem confiança e cumplicidade. Tem relação de pais e filhos.