O tempo de confinamento pode servir para pais e filhos fortalecerem os vínculos e introduzir a leitura no dia a dia

Dia 18 de abril, o Brasil comemora o Dia Nacional do Livro Infantil. A data é dedicada ao fomento da leitura e reforça a importância de criarmos o hábito desde cedo, visto que o livro é um instrumento fundamental no desenvolvimento das crianças.

Esse ano, as famílias passaram a data em quarentena, o que pode ser uma chance de desenvolver esse hábito nas crianças. Acostumadas a uma vida agitada, com passeios, escola e brincadeiras, essa talvez seja uma das primeiras vezes que as crianças enfrentam frente a frente à monotonia e o tédio. Por isso, os adultos se esforçam para entreter os pequenos e amenizar os efeitos da quarentena no universo infantil.

“Com a suspensão das aulas, os pais precisam lidar com as tarefas do trabalho remoto e ao mesmo tempo educar as crianças, organizar a casa, estimular brincadeiras e cuidar do desenvolvimento cognitivo dos pequenos. Uma das atividades que pode ser feitas com a família inteira e transformada em hábito é a leitura. A ideia é incluir os pequenos no mundo da literatura infantil, incentivando a imaginação, fundamental para o desenvolvimento cognitivo das crianças”, explica Nathalia Pontes, coordenadora de Pesquisa e Desenvolvimento Educacional na PlayKids. A leitura como brincadeira faz bem não só aos pequenos, mas também para os adultos que os acompanham.

Para tirar dúvidas sobre como despertar o interesse das crianças pela leitura, Nathalia Pontes preparou algumas dicas:

1. Incentive a criança
Aproveite momentos da rotina do pequeno para estimular a leitura. Ler antes de dormir, por exemplo, é uma ótima opção. Além de incentivar o gosto pelos livros, fortalece o vínculo entre vocês e cria um hábito. Se você não sabe exatamente que livro escolher para o seu pequeno, você pode buscar por sites ou clubes que te ajudem nessa seleção. A Leiturinha é o maior clube de assinatura de livros infantis do Brasil, com 170 mil assinantes, presente em 5.100 cidades no País. Vale a assinatura.

2. A dosagem do celular
A dica aqui é o equilíbrio e a mediação. O ideal é ter uma parte do dia dedicada a cada atividade. Também vale usar a tecnologia em favor do incentivo à leitura. Os livros digitais são uma ótima opção. Além disso, os próprios recursos do celular também podem complementar os momentos de leitura. Seja música, mecanismos de busca, câmera. Os pais podem explorar a criatividade e tudo o que a tecnologia pode nos oferecer de melhor.

3. A internet como aliada
Assim como no caso de celular e videogame, as dicas em relação a vida digital são as mesmas. Em primeiro lugar, saber dosar e equilibrar o tempo entre o acesso à rede e outras atividades, como brincadeiras, estudos e leitura, por exemplo. Dá para usar a própria internet para incentivar a leitura. Dependendo da idade, a criança já pode ser incentivada a a buscar informação sobre o autor do livro que está lendo, sobre o gênero literário, entre outros.

4. Invista no cantinho da leitura
Livro nunca é demais! Mas se em casa já há muitas obras que a criança não lê mais ou que ficaram muito básicas para a idade dela, você pode organizar um cantinho de leitura bem aconchegante. Além de deixar a biblioteca do pequeno atrativa e organizada, um cantinho dedicado aos livros é um excelente convite à leitura. Não se esqueça de passar adiante aqueles livros que o seu filho já não lê mais. Além disso, livro parado na estante não conta história.

5. Saiba respeitar a fase da criança
Se o pequeno, de uma hora para a outra, parece ter perdido o interesse pela leitura sem motivo aparente, calma! Saiba que existem fases em que isso é comum. O mais importante é sempre ter livros por perto e nunca deixar de convidá-los para deliciosos momentos de leitura. Com incentivo e paciência, o interesse volta aos poucos.

Lembre-se também que nenhuma história acaba com o fim de uma leitura. Depois de contar uma história, você pode fazer:

Brincadeiras inspiradas na história
Se a história é de esconde-esconde, por que não reproduzir a brincadeira em casa? Já, se a história for sobre um mágico, que tal fazer truques de mágica com os pequenos?

Colagens para recriar elementos do livro
Uma revista daqui, um jornal dali, tudo pode ser material para uma colagem. Mas não só os materiais impressos. A folha caída de uma plantinha de casa ou um botão também podem compor uma obra de arte.

Desenhos sobre a história
Vocês podem usar de inspiração os traços presentes nos livros, suas cores e técnicas. Por exemplo, no livro o ilustrador usou as cores vermelho e azul… O que podemos criar com essa combinação?

Faça perguntas
Perguntas envolvendo os personagens principais e o conflito central da história faz com que seu pequeno reflita sobre a narrativa.

Teatro usando elementos da história
O teatro é ótimo para o desenvolvimento da criatividade! Faça um teatro e convide o pequeno a representar o seu personagem favorito.

Pensar em um final diferente do que está escrito
Aflore a imaginação e a criatividade do pequeno, pensando novos caminhos para uma história já conhecida.

Caça ao tesouro com as ilustrações dos livros
Como assim? A brincadeira é mais ou menos como ‘Onde está o Wally?’. Você escolhe alguns elementos da ilustração de um livro e sugere que a criança os encontre.

Assistir filmes ou desenhos que se conectem com a história
Se o livro escolhido tem uma adaptação para o cinema, convide o seu pequeno a fazer uma sessão pipoca! Caso a obra ainda não tenha uma versão em vídeo, pesquise por animações com temas semelhantes. Assim você mostrará ao seu pequeno que existem várias formas de falar sobre algo.

Criar um livro juntos
Pode ser a continuação da história contada ou outra ideia que der na telha.

Incentivar que o pequeno reconte a história para a família
Para recontar uma história os pequenos precisam ativar a memória, a criatividade e a habilidade de conectar ideias. Além de desenvolver essas habilidades, esse momento também contribui para o fortalecimento dos vínculos em casa!

#dianacionaldolivroinfantil