Pacientes que receberam injeções de toxina botulínica em várias regiões e por diferentes condições relataram menor frequência de depressão comparados com pacientes que receberam outros tratamentos para as mesmas condições clínicas segundo um estudo publicado no renomado Scientific Reports (2020). Anteriormente, outros trabalhos sugeriram o mesmo mas o atual trabalho possui muito mais consistência metodológica.

Por anos, os clínicos notaram que injeções de Botox para razões cosméticas parece aliviar a depressão de seus pacientes. Segundo o Professor de farmácia da Universidade da Califórnia em San Diego, acredita-se que atenuar linhas de expressão severas na região da testa interrompe um ciclo de feedback reforçador de emoções negativas. Porém, no estudo atual o mecanismo envolvido parece ser mais complexo porque não importa o local no qual o Botox é injetado.

A descoberta decorre de uma análise de 40 mil relatos de tratamento do FDA (Food and Drug Administration) dos EUA.

Pessoas que receberam injeção de toxina botulínica em 6 locais diferentes para o tratamento de condições como hiperidrose, rugas faciais, profilaxia para enxaqueca, espasticidade e espasmos relataram depressão com uma frequência de 40% a 88% menor quando comparados a pacientes que receberam outros tratamentos.

Embora os dados do estudo não tenham sido coletados com o objetivo de explorar um elo entre as injeções de toxina botulínica e depressão e representa um subgrupo de pacientes com efeitos colaterais negativos, os pesquisadores acreditam que tais achados apontam para um efeito antidepressivo significativo que independe do local de aplicação do botox.

Esse resultado impressiona porque dá um suporte para um possível tratamento novo e revolucionário que pode ajudar no alívio e na luta contra a depressão, uma doença mental grave e incapacitante. Além do mais, é um estudo sério que se baseia em dados estatísticos robustos.

FONTE:

Makunts T, Wolimer MA, Abagyan R. Postmarketing safety surveillance data reveals antidepressant effects of botulinum toxin across various indications and injections sites. Scientific Reports. 2020; 10(1):12851