Foto: Divulgação/Globo

Foto: Divulgação/Globo

Terminada a gravação dos primeiros episódios da série Brasil a Bordo, seu criador e protagonista, Miguel Falabella, notou a falta de mais mobilidade nas cenas.

“As imagens tinham um enquadramento muito parado. Sentimos falta de uma linguagem mais dinâmica, com a câmera em movimento”, contou ele ao Estado.

Resultado: todo o material começou a ser regravado, agora com mais agilidade. O processo, no entanto, não conta mais com a presença de Ney Latorraca.

“Ele me disse que não tinha fôlego para fazer tudo de novo”, diz Falabella sobre o colega, de 76 anos, que interpretava o comandante Durval.

Marcos Caruso assumiu o papel da série que mostra uma companhia aérea desgovernada. “Como o Brasil”, ironiza Falabella.

 

Notícia publicada na coluna Sem Intervalo, do Caderno 2, nesta sexta-feira (18).