“Memórias do Subsolo” foi start para coleção da aluna Carolina Otília

(Foto: Otília / FAAP)

Literatura e moda. A união das duas áreas resultou no trabalho apresentado pela aluna Otília, da FAAP, no World University Student Fashion Design Competition Qingdao 2019, realizado em novembro, na China.

“Meu trabalho de TCC de graduação em Moda foi inspirado no livro que leva o mesmo nome “Memórias do Subsolo” do escritor Fiódor Dostoiévski, de 1864. Ele fala sobre um homem que vivia num subsolo em meio a revolução Russa, e como ele se conecta com seu subconsciente. Nesse caso, o subsolo é o subconsciente dele e em um trabalho de conhecimento pessoal, Dostoievski criou a obra. Da mesma forma que ele escreveu o livro, tentei usar meu próprio “subsolo” para criar a coleção. Além disso, usei referências de silhuetas das indumentárias russas da época, mas apesar deste start, minha coleção tem pouquíssimas referências literais, e ficou bem intuitiva e pessoal”, explica Otília.

A ex-aluna de moda da Faap lembra a sucessão de vitórias antes de embarcar para a China. Seu trabalho foi primeiro lugar em votação popular da FAAP e depois pré-selecionado para disputar a apresentação do outro lado do mundo. “Me senti muito honrada por ter sido lembrada pela faculdade e acho que essa experiência é uma das coisas que jamais esquecerei: como a faculdade me incluiu num grupo pequeno de pessoas capazes de ir para lá. Eu estava viajando e tive dificuldades para reunir meu trabalho e enviar para a seleção e até achei que não daria certo, mas em pouco tempo já estava confirmada para ir e 15 dias depois já estava na China. Foi tudo muito intenso, mas a surpresa foi ótima”.

Troca de experiência, de técnicas, de vivências, de meios criativos, além da exposição internacional que pode acrescentar muito na carreira profissional estão entre os itens apontados por Carolina durante o tempo que esteve em Qingdao, na China.

“Tudo foi incrível. Todos os competidores eram jovens, vindos de países e com culturas muito diferentes, mas todos reunidos com o mesmo objetivo de mostrar sua arte e seu trabalho. Achei que todos foram muito comunicativos e sem medo de expor suas técnicas criativas. Aprendi muita coisa com eles e espero ter dado de volta. Além disso, nós nos divertimos muito e fiz amigos. Acho que esse networking internacional pode me ajudar no futuro de alguma forma”, destaca.

Otília também falou sobre a experiência de ver muitas apresentações e palestras, e de como a moda é importante para a economia e tem grande papel no crescimento e desenvolvimento na China. “Eles conseguem ver a moda como arte, cultura e economia igualmente. Isso abriu muito minha cabeça para como a moda tem que ser tratada e como ela deve ser artística, criativa e ao mesmo tempo, democrática, para que possa contribuir com a economia”, finaliza.

(Foto: Otília / Coleção da aluna da FAAP)

 

(Coleção: “Memórias do Subsolo”- Otília/FAAP)

(Coleção: “Memórias do Subsolo”- Otília/FAAP)

(Coleção: “Memórias do Subsolo”- Otília/FAAP)